DICAS E NOVIDADES

 

RPA CONSULTORIA: UMA TRAJETÓRIA DE SUCESSO

Em 2003, Ricardo Pinto, sócio-diretor da RPA Consultoria, conheceu o sistema de transporte de cana da Agrovale, localizada em Juazeiro, Bahia, que já era bastante ousado na época: um cavalo mecânico com uma caixa de peso morto no lugar da quinta-roda tracionava dez reboques canavieiros.

Para poder ter trabalho também na entressafra - puxando calcário - de forma a reduzir ainda mais o custo por quilômetro dos caminhões, além de possibilitar maior estabilidade e melhor dirigibilidade em função de uma maior distância entre-eixos, o sócio-diretor da RPA Consultoria recomendou a troca dos cavalos-mecânicos por caminhões basculantes para tracionarem os verdadeiros “trens de cana” da Agrovale.

A RECOMENDAÇÃO DEU CERTO E JÁ SE VÃO 13 ANOS DESDE QUE A AGROVALE ADOTOU, COM SUCESSO, A RECOMENDAÇÃO DE RICARDO PINTO, CHEGANDO HOJE A TRANSPORTAR MAIS DE 200 T DE CANA POR VIAGEM! ESSA É APENAS UMA DAS CENTENAS DE HISTÓRIAS DA RPA, A MELHOR CONSULTORIA EM CANA-DE-AÇÚCAR DO BRASIL.

VALTRA APRESENTA COLHEDORA PARA MUDASDE CANA

A Valtra, montadora de máquinas agrícolas do grupo AGCO, apresentou, durante Feacoop, a BE1035 Mudas, a primeira colhedora de mudas de cana e a única, segundo a empresa, preparada de fábrica para o processo. A feira agrícola aconteceu em Bebedouro, São Paulo, no começo de agosto.

A máquina utiliza sistema de esteiras de borracha em substituição aos rolos de condução da cana após a colheita, reduzindo em 46% os pontos de atrito das mudas no equipamento, segundo a Valtra Com isso, a gema, parte responsável pelo surgimento das novas plantas, é preservada.

“É possível obter o mesmo resultado no plantio utilizando quantidade menor de mudas por hectare. Dessa forma, o produtor rural reduz os gastos no plantio”, informou Marco Antônio Gobesso, gerente de Marketing de Produtos Cana-de-açúcar da AGCO.

CANAVIEIROS RECOLHEM 8 T DE EMBALAGENS VAZIAS NA MATA NORTE

Cerca de 120 plantadores de cana dos municípios produtores na Zona da Mata Norte coletaram 8 t de embalagens de defensivos agrícolas espalhados pela região durante uma campanha ambiental liderada pela AFCP (Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco). O material foi levado para a usina Coaf/Cruangi, em Timbaúda, que é administrada por uma cooperativa de canavieiros. Ao todo, cinco carretas foram preenchidas com o material recolhido.

Depois, todo o material coletado foi levado para a Arpan (Associação dos Revendedores de Produtos Agropecuários), em Carpina, de onde seguiu para uma fábrica de reciclagem no Região Sudeste do Brasil, transformando-se em novos produtos para uso, como material elétrico, carcaça de bateria e outros utensílios. “Além de contribuir com o meio ambiente, evitando a contaminação de solos, rios, animais e das pessoas na Zona da Mata do Estado, a retirada das embalagens integra a nossa política de logística reversa, ou seja, a indústria fabrica inicialmente estas embalagens de defensivos agrícolas e nós a recolhemos para que volte ao uso após transformadas pela indústria em novos produtos. É uma cadeira completa, otimizando seu tempo útil”, afirma Hermano Wanderley, gerente da Coaf/AFCP, entidade sócia da Arplan.

A Coaf/AFCP é a cooperativa que comercializa produtos agroquímicos para canavieiros no Estado. E diante sua responsabilidade ambiental, atua fortemente, com a ajuda da Adagro, para garantir esta logística reversa.

OFICINA DE ALTA PERFORMANCE DA MERCEDES PROPORCIONA MAIS DISPONIBILIDADE AOS VEÍCULOS

As oficinas dos concessionários Mercedes-Benz seguem processos robustos de atendimento, desde o agendamento até a entrega do serviço, para que a eficiência e a qualidade dos veículos sejam rotina. E, na mesma medida em que aumentam as exigências dos clientes quanto aos serviços, a Mercedes-Benz e seus concessionários aprimoram seus processos para oferecer um atendimento cada vez melhor e mais ágil, sem abrir mão da qualidade típica da marca, por meio da consolidação e expansão do conceito OAP 2.0 (Oficina de Alta Performance).

“Tendo como foco a melhoria da estrutura, dos métodos e processos, essa iniciativa aumenta a produtividade da oficina do concessionário”, diz Silvio Renan, diretor de Peças e Serviços ao Cliente da Mercedes-Benz do Brasil. “A grande vantagem para o cliente é mais agilidade no atendimento e na execução dos serviços, liberando o veículo o mais rápido possível para sua atividade de transporte. Isso resulta ainda em melhor custo/benefício para o cliente, assegurando a rentabilidade desejada. ”

A Oficina de Alta Performance (OAP 2.0) é uma inovação junto à rede Mercedes-Benz para elevar a qualidade do atendimento a um novo patamar voltado à menor permanência dos veículos nas oficinas, o que traz um diferencial de mercado para o concessionário e para a marca. Isso contribui para a conquista da satisfação do cliente e sua fidelização.

OUROFINO AGROCIÊNCIA INICIA OPERAÇÕES DE NOVA FÁBRICA

A Ourofino Agrociência, fabricante nacional de defensivos sediada em Uberaba, MG, iniciou as operações de uma nova unidade voltada para a fabricação de herbicidas. A planta de Grânulos Dispersíveis em Água (WDG), que tem capacidade para produzir 6 mil t por ano, está instalada no parque fabril da Ourofino em Uberaba, que tem capacidade total de produção de 120 milhões de l de produtos por ano, de acordo com o diretor Industrial da companhia, Jair Sunega.

Com a nova unidade, a Ourofino passa a produzir herbicidas voltados para a cultura de cana-de-açúcar com as marcas Velpar K e Advance, cujos direitos de uso foram adquiridos da americana DuPont em dezembro de 2016. A construção da nova planta em Uberaba foi custeada com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). A Ourofino Agrociência fechou um contrato de financiamento com a Finep no valor de R$ 60 milhões, e desse total saíram os R$ 12 milhões investidos na planta.

O restante dos recursos servirá para investimentos no desenvolvimento de novos produtos e em melhoria das formulações já existentes da companhia. A Ourofino Agrociência tem 28 produtos no mercado, entre herbicidas, fungicidas e inseticidas. Para 2017, mais dez formulações deverão ser lançadas.

USAR ETANOL REDUZ EMISSÃO DE NANO PARTÍCULAS

Um estudo realizado na cidade de São Paulo, por pesquisadores do Instituto de Física da USP, mostrou que usar etanol nos carros ajuda a proteger a saúde das pessoas. Na hora de abastecer, o motorista que tem carro flex quase sempre se decide entre etanol e gasolina com base no preço. “A gasolina está R$ 1 mais cara do que o etanol e o carro é flex, então estou indo pelo mais barato”, diz a biomédica Lucia Cabral. Mas, como os dois combustíveis são diferentes, o motorista também está decidindo, mesmo sem perceber, o tipo e a quantidade de poluentes que seu carro irá jogar na atmosfera. Um deles, pouco conhecido, invisível e particularmente perigoso é a nanopartícula.

Os pesquisadores constataram um aumento de 30% de concentração de nanopartículas no ar de São Paulo quando os motoristas usam mais gasolina do que etanol. “Se a gente fizer uma comparação com um ambiente totalmente limpo, como é o da Antártica, onde a ordem de nanopartículas é de 100 a 200 partículas por centímetro cúbico, veremos grande diferença. Na cidade de São Paulo mede-se 15 mil partículas por centímetro cúbico”, afirma o físico e técnico do Instituto de Física da USP, Fernando Morais.

“Esses dados mostram que é muito importante que o governo brasileiro dê maior apoio aos biocombustíveis”, diz o professor do Instituto de Física da USP, Paulo Artaxo.