POR DENTRO DA USINA

 

POR DENTRO DA USINA

SÃO MARTINHO VENDERÁ ETANOL DE FORMA PAULATINA E COM PREÇOS MAIORES

A São Martinho, que tem cerca de 64% do etanol desta safra para ser vendido na segunda metade da temporada, pretende vender todo o volume de forma paulatina, sem reservar estoque do produto para ser vendido no mercado físico para a próxima safra. De acordo com Felipe Vicchiato, diretor financeiro da São Martinho, o mercado de etanol na entressafra deverá ter uma oferta e demanda ajustadas. “Não terá escassez de etanol. A oferta está razoável para atender a demanda, mesmo que esta suba nos próximos meses”, afirmou.

Até o fim do segundo trimestre, a companhia detinha 453 milhões de l de etanol em estoque e previa produzir mais 156 milhões de l. O volume, acima do usual para a companhia, deve-se à consolidação da Usina Boa Vista, que produz apenas etanol. A opção de carregar mais etanol para a segunda metade da safra, segundo ele, foi mantida de acordo com a estratégia usual do grupo.

Vicchiato avaliou que, mesmo que o preço da gasolina caia no mercado internacional neste verão, período em que o combustível costuma recuar sazonalmente no mundo, o repasse não chegará integralmente na bomba. Ele ressaltou que a recente alta do dólar deve compensar uma eventual queda do preço da gasolina.

RAÍZEN FECHA DUAS UNIDADES INDUSTRIAIS EM SP

A Raízen comunicou, no mês de novembro, o encerramento das atividades industriais das unidades Dois Córregos e Tamoio, ambas localizadas no interior do Estado de São Paulo. O motivo alegado pela empresa é a menor disponibilidade de cana-de-açúcar nas duas regiões, além do objetivo de otimizar a logística e a produção.

Em nota a empresa informa que decidiu suspender as atividades industriais das unidades por um período inicial de dois anos. A cana destinada a Dois Córregos e Araraquara será redirecionada para outras empresas, sem que haja redução da moagem total do grupo.

A Raízen é líder individual em moagem de cana do Brasil, principal fabricante de etanol de cana-de-açúcar e terceira maior distribuidora de combustíveis. A empresa tem faturamento de R$ 79,2 bilhões, com produção anual de 4,2 milhões de t de açúcar e comercialização anual de 25 bilhões de l de combustível. 

USINA CORURIPE LANÇA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO CONTRA ASSÉDIO

A Usina Coruripe lançou uma campanha com o objetivo de conscientizar os colaboradores sobre assédio moral e sexual. A ideia é promover uma reflexão sobre o assunto por meio de cartazes e displays, distribuição de camisas e canecas, avisos nos banheiros, filas e no ônibus da companhia com o slogan “Sem assédio, com respeito”. Também foi desenvolvido um vídeo sobre o tema, que está sendo divulgado nas redes sociais da Coruripe. A campanha foi concebida a partir de uma ação realizada no Dia Internacional da Mulher, em que sete colaboradoras assumiram as diretorias da companhia, debateram sobre igualdade de direitos e fizeram reuniões para tratar sobre o papel da mulher na empresa.

A partir desta ação, elas identificaram a importância de conscientizar todos os colaboradores da Coruripe sobre respeito às mulheres e sugeriram a campanha. Atualmente, dos quase 9,4 mil funcionários da empresa, 670 são mulheres.

Fábio Moniz, diretor-administrativo e de Recursos Humanos da Usina Coruripe, explica que o objetivo da campanha é valorizar as mulheres e possibilitar o aumento da participação delas na empresa. “Nós temos investido na igualdade de gêneros e acreditamos que é muito importante contarmos com a competência de todas as nossas colegas para o crescimento da empresa no mercado. Priorizamos o nosso capital humano feminino e esperamos uma boa receptividade de todas essas ações promovidas”, declara.

BIOSEV SUSPENDE ATIVIDADES EM USINA DE MS PARA REDUZIR CUSTOS

A Biosev anunciou a suspensão da atividade industrial da Usina Maracaju, em Mato Grosso do Sul, visando reduzir seu custo de produção unitário, de forma a trazer maior resiliência para sua geração de caixa.

A companhia esclareceu que a suspensão da operação da unidade está restrita às atividades industriais, sendo que a cana da região será redirecionada para outras unidades da empresa localizadas no Polo MS, o que otimizará a utilização da capacidade instalada das referidas usinas. “Como consequência desta decisão, a companhia passará a alocar a cana-de-açúcar nas unidades com maior escala e capacidade de extração de açúcar e etanol (Rio Brilhante e Passatempo)”, disse a Biosev.

Além disso, o grupo afirmou que passará a ter o benefício adicional de aumento da produção de energia, uma vez que as usinas de Rio Brilhante e de Passatempo têm capacidade de produção de energia para venda, o que não é o caso da unidade de Maracaju.