POR DENTRO DA USINA

 POR DENTRO DA USINA

CPQD E GRUPO SÃO MARTINHO INVESTEM EM PROJETO PARA AUMENTO DE EFICIÊNCIA

Aplicar recursos de Tecnologia da Informação para aumentar a produtividade da lavoura de cana-de-açúcar e a eficiência dos processos relacionados à produção de açúcar e etanol é o principal objetivo do projeto que o CPqD vem conduzindo em parceria com o Grupo São Martinho. Com dois anos de duração, o projeto prevê o desenvolvimento de rede móvel de quarta geração baseada na tecnologia LTE (Long Term Evolution) e adaptada às condições operacionais do setor sucroalcooleiro, em conjunto com uma infraestrutura de sensoriamento com tecnologia RFID (Identificação por Radiofrequência).

Esses recursos, quando integrados, permitirão a coleta de informações no campo em tempo real. De início, o projeto contará com o suporte do BNDES e Fundo Tecnológico (Funtec). No suporte estão incluídas a pesquisa e desenvolvimento da arquitetura de rede, de equipamentos e aplicativos e, ainda, a implantação de um piloto em uma das usinas do Grupo São Martinho.

O foco é a criação de uma infraestrutura de comunicação e sensoriamento eficiente e flexível, capaz de aumentar a eficiência das operações no campo em todas as suas fases – do plantio e colheita da cana-de-açúcar até o seu transporte para a indústria.

 

VALE DO TIJUCO CONTRIBUI PARA CONTRUÇÃO DE ESTRADA ECOLÓGICA

Uma proposta para transformar as vias vicinais do município de Uberaba em “estradas ecológicas” foi oficialmente lançada através de um convênio entre a Prefeitura de Uberaba, a Usina Vale do Tijuco, o IFTM e o Sindicato Rural. O projeto visa canalizar toda a água de chuva a fim de evitar que causem buracos nas estradas e assoreiem os cursos de água. De acordo com o diretor financeiro da usina Vale do Tijuco, Sylvio Ortega, o Termo de Cooperação Técnica foi assinado em 2015, mas começou a ser viabilizado em março através da manutenção inicial de 28 km da estrada vicinal Casa Azul UBB-330, no valor de R$ 500 mil, por um período de 180 dias. “O projeto consiste em reverter os valores devidos pela usina, provenientes de taxas de reposição florestal, para manutenção ecológica das estradas vicinais de Uberaba”, diz Ortega.

Normalmente no período da seca as estradas vicinais são transitáveis, mas durante as chuvas, elas recebem uma grande quantidade de água e se transformam em verdadeiros canais de enxurrada. Segundo o professor do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (Campus Uberaba), Adelar José Fabian, a proposta, então, é fazer uma elevação no leito da estrada para que a água não escorra para as estradas, fique retida dentro das fazendas e infiltre no solo, contribuindo com o lençol freático.

A usina entrará com toda a estrutura operacional necessária, incluindo fornecimento de máquinas, caminhões e operadores além da gestão dos trabalhos de campo. O projeto prevê a recuperação de mais da metade dos 5.500 km de estradas vicinais do município.

 

USINA AMPLIA FROTA DE TRATORES

A Case IH fez a entrega de 16 tratores Puma 205 para a UMOE Bioenergy, usina norueguesa do ramo sucroalcooleiro, localizada na cidade de Sandovalina, no interior de São Paulo. Esta é a segunda vez que a usina faz a aquisição de um lote tão grande de máquinas da fabricante. Em 2014, foram adquiridos 20 tratores do mesmo modelo.

Os equipamentos sarão usados nas operações de plantio, preparo de solo e colheita de cana-de-açúcar. Segundo a direção da UMOE Bioenergy, o bom desempenho dos tratores comprados no primeiro lote, a qualidade do serviço de pós-venda e a assistência prestada pela Central Máquinas, concessionária Case IH que atende a região, foram fatores importantes para a tomada de decisão e escolha da marca.

 

DELLA COLETTA INVESTE EM SOFTWARE PARA GESTÃO DE SUA PRODUÇÃO

Com 60 anos de atuação no setor sucroenergético e com cerca de 1300 funcionários, a Della Coletta Bioenergia (DCBio), sentiu a necessidade de implantar um sistema funcional e eficiente para facilitar e melhorar o trabalho dos colaboradores. “Percebemos que, com um sistema integrando todos os setores e ajudando no controle e comunicação, conseguiríamos melhorar e agilizar as informações necessárias para tomada de decisões estratégicas na Companhia”, ressalta Fábio Pussi, da área de Controle da DCBio.

A DCBio optou pelos sistemas da CHB Informática, empresa especializada na criação de softwares para controle administrativo, agrícola e industrial. “Hoje todos têm acesso instantâneo às soluções práticas e inteligentes extraindo informações necessárias para a melhor tomada de decisão, o que reflete nossa busca constante por aumento de eficiência e redução de custos”, completa Pussi.

 

GVO QUER TROCAR BONDS DE US$ 735 MILHÕES

O Grupo Virgolino de Oliveira (GVO) entregou uma proposta de pagamento aos seus bondholders. Esses investidores detêm US$ 735 milhões em títulos da empresa sucroalcooleira e não recebem o pagamento de seus respectivos cupons semestrais desde julho de 2014. Esses títulos estão com forte deságio no mercado secundário, e estão sendo negociados por entre 4% e 20% de seus valores originais.

Pela proposta, o GVO emitiria novos bonds em substituição aos já existentes. Esses novos papéis teriam prazos de vencimento de dez a 15 anos, mais longos do que os dos títulos em vigor. Teriam, ainda, uma taxa de remuneração menor.

A companhia, que começou a captar recursos por meio desses títulos a partir de 2011, fez três emissões, com taxas de remuneração de cupons que variam de 10,5% a 11,75%. O de vencimento mais longo (2022) é de US$ 300 milhões, sem garantia. Há outro bond de US$ 300 milhões, também sem garantia, para 2018. A empresa emitiu ainda US$ 135 milhões em notas com garantia e que vencem em 2020. Desde que deixou de pagar os cupons semestrais, o GVO negocia com os credores uma solução para a dívida, enquanto tenta ampliar sua moagem de cana.