por editor

O presidente Michel Temer declarou nesta quarta-feira (9/11) que a vitória do republicano Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos "não mudará nada" nas relações entre ambos países. "Tenho certeza de que não mudará nada nas relações", disse Temer em uma entrevista à rádio "Itatiaia", na qual apontou que entre Brasil e Estados Unidos, assim como com outros países, existem "relações institucionais, ou seja, entre Estado e Estado".

Temer não se aprofundou nas possíveis consequências da vitória de Trump, embora admitiu que "o novo presidente que assume deverá levar em conta as aspirações de todo o povo americano". As relações com os Estados Unidos são uma das prioridades do governo de Temer, que assumiu o poder em 31 de agosto após o impeachment de Dilma Rousseff.

Os interesses do Brasil em suas relações com os Estados Unidos, um de seus principais parceiros comerciais, passam sobretudo por essa área, mas também pela cooperação nos âmbitos de defesa e ciência e tecnologia, entre outros.

O governo de Temer não se havia posicionado com relação às eleições nos Estados Unidos, embora o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, manifestou na semana passada "a título pessoal" seu desejo de que Trump "não ganhasse as eleições". "Não estou autorizado a falar em nome do governo do Brasil sobre esse assunto, mas como ministro e ambientalista confio na sociedade americana e nos compromissos que assumiu", disse em uma teleconferência com correspondentes estrangeiros.

 

Sarney fazia referência assim à posição de Trump com relação ao Acordo de Paris contra a mudança climática, sobre o qual o presidente eleito disse em sua campanha que era "ruim" para os Estados Unidos, por isso que poderia cancelar a adesão de seu país ou renegociar esse tratado.