A VOZ DO FORNECEDOR


FORNECEDORES DE CANA COBRAM DÍVIDAS DE USINAS

O presidente da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas (Asplana), Edgar Filho, recebeu, no início de outubro, fornecedores de cana-de-açúcar de Alagoas para discutir a situação da dívida das usinas, que segundo reclamam os representantes do setor canavieiro, estão moendo sem fazer o devido pagamento aos produtores. A reunião aconteceu na sede da Asplana, em Maceió.

De acordo com Edgar Filho, as usinas do estado devem aproximadamente R$250 milhões aos cerca de oito mil fornecedores de cana de Alagoas. “E tem produtores que não recebem das usinas já há três safras. Na última safra tem usina que moeu e não pagou um real aos fornecedores.” Ainda de acordo com ele, a única saída apontada pelas usinas foi a liberação de um financiamento, junto a um banco internacional.

A falta de alternativas apontada pelas usinas foi justificada pelo período de seca e momento de crise que o país está passando. No entanto, o repasse desse financiamento estaria se arrastando desde o mês de dezembro de 2015. “A situação de dificuldade do fornecedor tem se arrastado há três anos. Então, quando saiu a notícia de que esse financiamento viria para as usinas e elas se comprometeram junto ao governador a utilizar esse dinheiro para pagar os seus fornecedores de cana, gerou-se uma esperança para a classe. No entanto, desde dezembro o dinheiro não saiu para as usinas e elas não pagaram os fornecedores de cana. Temos um ano de esperanças frustradas e de uma situação que está cada dia mais grave”, explicou.

Os pequenos produtores têm amargado os principais reflexos da falta de pagamento e relatam estar vivendo uma situação crítica. “A situação passou de calamidade no campo, porque você não tinha como renovar seu canavial, para calamidade dentro da própria casa, com os fornecedores sem conseguir pagar nem as contas, principalmente pelo fato de 90% da classe ser formada por pequenos fornecedores, que sobrevivem com um salário mínimo por mês”, afirmou o presidente da Asplana.

FORNECEDOR DE CANA RECEBE REUNIÃO TÉCNICA DO CTC

No último dia 6 de outubro, em Ituverava, SP, o CTC realizou mais um Dia de Campo voltado para fornecedores de cana-de-açúcar. O evento contou com cerca de 25 clientes e palestras técnicas sobre as variedades mais adaptadas à região, como as da série 9000, por exemplo, além de demonstrações em campo sobre manejos como: adubação, sistematização e conservação do solos. “Este é um público que sempre foi muito importante para o CTC e queremos cada vez mais reforçar esse relacionamento mostrando a eles que é possível se sobressair em produtividade quando se investe em tecnologia”, explica Luis Gustavo Dollevedo, diretor Comercial do CTC.

EM PLENA CRISE, COAF/AFCP FORTALECE COOPERATIVISMO RURAL EM PE

Apesar da grave crise econômica ainda em curso, a Cooperativa do Agronegócio da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (Coaf/AFCP) não para de crescer. Tanto que acaba de ampliar suas instalações no Recife, triplicar postos de trabalho e elevar o faturamento. Embora a previsão anual fosse de faturar R$ 8 milhões, a cooperativa já atingiu nos últimos 12 meses o montante de R$ 11 milhões. O segredo do desempenho está no método que a Cooperativa aplica em favor dos seus agricultores cooperativados. Ela aposta na diversificação do portfólio de produtos agropecuários comercializados com preços abaixo dos praticados no mercado, já que atua para reduzir os custos de produção da cana e de pastagens, estratégicos para entidade.

Além de comercializar fertilizantes e herbicidas para cana e pastagens a preços diferenciados do mercado, bem como ferramentas, utensílios e várias linhas de pastagens, a Coaf passou a comercializar também peças para tratores de todas as marcas e ainda implementos agrícolas a partir de outubro. A Cooperativa, que fica na Av. Mascarenhas de Moraes, no bairro da Imbiribeira no Recife, já realizou cadastro com várias distribuidores locais dessas peças e também está buscando firmar parcerias com as indústrias do segmento.

“A nossa intenção é trazer também a indústria de peças de tratores para perto do produtor de cana e com preços mais baixos que os praticados no mercado”, explica o gerente Comercial da Cooperativa, Hermano Interaminense.

Peças de tratores são uma demanda cotidiana dos agricultores, já que o uso destas máquinas é essencial para a produção da cana-de-açúcar e o gasto com peças é um dos fatores que mais encarecem os custos de produção. Desta forma, como a Coaf tem como missão baixar tais custos dos seus cooperativados, a direção da entidade decidiu inserir estes produtos em seu portfólio.

“Desde 2010, quando foi criada, a Coaf/AFCP se destaca pelo valor diferenciado dos produtos comercializados para os seus cooperativados. E isso ocorre justamente porque esta é a sua finalidade: baixar custos de produção da cana e agora também de outros setores agropecuários”, diz o responsável por sua criação, Alexandre Andrade Lima, presidente da AFCP e da Coaf.

NOVA ARALCO LANÇA APLICATIVO PARA COLABORADORES E FORNECEDORES DE CANA

O Grupo Nova Aralco, formado pelas usinas Alcoazul, Aralco, Figueira e Generalco, lança ferramenta digital para aprimorar a disponibilidade das informações aos colaboradores e fornecedores de cana. Numa iniciativa de inovação aberta, foi desenvolvido o aplicativo CS ERP, formatado em parceria com a empresa de Tecnologia Compusoftware e alunos do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Fatec, de Araçatuba, SP.

A ferramenta de comunicação foi pensada pela equipe de Recursos Humanos da Nova Aralco com objetivo de oferecer, na palma da mão do colaborador, informações de seu interesse como plano de carreira, holerite, desempenho etc. Durante a execução do projeto, outras ideias surgiram e ampliaram o escopo do projeto para o relacionamento com fornecedores de cana.

No aplicativo, os colaboradores conseguem visualizar holerite, vagas disponíveis, evolução de carreira, folha de ponto e acompanhar o desempenho diário, semanal e mensal. Já os fornecedores de cana, têm à disposição informações referentes à entrada de cana, relatórios de produção, extratos de contrato e fornecedor, entre outras. Para acessar, os usuários precisam estar cadastrados previamente no sistema interno da empresa para depois usufruir dos benefícios da ferramenta.

A Aralco priorizou a necessidade de apresentar um sistema online, totalmente integrado ao seu banco de dados, que oferece modernidade, funcionalidade e eficiência na gestão dos negócios e informações de seus públicos. De acordo com Jennifer Leal, assistente de Recursos Humanos da Nova Aralco, é uma ferramenta de rápida implantação, baixo custo e praticidade incomparável. “Além disso, a nova ferramenta viabiliza aos nossos usuários, todas as informações referentes aos interesses deles aqui dentro”, disse a idealizadora do projeto.

Mais nesta categoria:

Topo