Biosev não pretender participar de leilão de usina da Renuka, diz presidente

A Biosev, braço sucroenergético da Louis Dreyfus Company (LDC), não pretende participar do leilão da Usina Revati, da Renuka do Brasil, marcado para 4 de setembro, disse à Reuters o presidente da companhia, Rui Chammas. "Não está na agenda da Biosev participar desse leilão", resumiu o executivo.


Localizada em Brejo Alegre (SP), a unidade já despertou o interesse da chinesa Cofco e da brasileira Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA).
A declaração de Chammas ocorre no mesmo dia em que a Biosev divulgou seus resultados referentes ao segundo trimestre, o equivalente ao primeiro da safra 2017/18.


No período, a companhia reportou prejuízo de 577 milhões de reais, 63,5 maior ante o registrado há um ano.
A alavancagem fechou em 30 de junho a 3,8 vezes. De acordo com Chammas, o objetivo é terminar a temporada, em 31 de março de 2018, com esse indicador inferior a 3,5 vezes.


Segundo Chammas, a moagem de cana-de-açúcar, beneficiada por um clima “normal” e por “ganhos de produtividade”, cresceu 6,5 por cento no trimestre, para 9,62 milhões de toneladas.


O mix de produção no período pendeu para o açúcar, com 53 por cento da oferta de matéria-prima destinada à fabricação do alimento, contra 51,6 por cento há um ano, embora, segundo Chammas, isso não seja uma tendência para o resto da safra.


“Essa decisão de produzir mais ou menos açúcar tem a ver com os preços de mercado. No primeiro trimestre (da safra), o açúcar estava com preços superiores aos do etanol e, ao longo deste segundo trimestre, vamos acompanhar e tomar as decisões de curto prazo”, afirmou.
Conforme o executivo, a atratividade do açúcar de abril a junho também se refletiu sobre os estoques da companhia, que diminuíram dada a comercialização mais intensa.


A Biosev encerrou o trimestre com reservas de 83 mil toneladas de açúcar, 46,8 por cento menos em relação a igual data de 2016.
“O açúcar de curto prazo estava rendendo mais que o açúcar de médio e longo prazos. Não valia a pena carrega-lo”, disse.
A Biosev nasceu em 2009, a partir da fusão da LDC Bioenergia com a Santelisa Vale, uma das maiores companhias nacionais na produção e processamento de cana-de-açúcar.


Segunda maior processadora de cana do país, com 11 unidades industriais localizadas em quatro polos agroindustriais no Brasil, tem capacidade total de moagem superior a 36 milhões de toneladas por safra. (Reuters