Terceira estimativa de fixação das usinas para a safra 2018/2019

O modelo desenvolvido pela Archer Consulting aponta que até o dia 30 de setembro de 2017, as usinas já haviam hedgeado 4,215 milhões de toneladas de açúcar, ao preço médio de 16,31 centavos de dólar por libra-peso FOB, sem prêmio de polarização, o que deve representar aproximadamente 15.5% do total estimado da exportação brasileira de açúcar.

O preço médio de fixação, segundo o modelo, é de R$ 1,223 por tonelada, incluindo o prêmio de polarização e ajustado pelo NDF (contrato a termo de dólar com liquidação financeira). Esse valor é equivalente a 53.22 centavos de real por libra-peso. O dólar médio obtido pelas usinas foi de 3.2632 reais.

O percentual acumulado no ano, de 15.5% é o menor desde a safra 2015/2016. Na safra passada, nesse mesmo período, o percentual de fixação estava em 27.07%. Alguns fatores corroboram por esse atraso na fixação: falta de crédito por parte das tradings, atraso na fixação da safra 2017/2018 que fez com as usinas olhassem a próxima safra em segundo plano. A queda vertiginosa do preço do açúcar no mercado internacional, principalmente a partir de abril, desestimulou as usinas a fixarem preços.