Agronegócio foi punido com juros para atual safra, diz Arnaldo Jardim

O secretário de Agricultura do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, criticou a política de juros agrícolas e afirmou que o setor foi punido por uma queda menor das taxas de financiamento da safra 2017/2018 do que a redução da Selic. Jardim lembrou que entre a safra atual e a safra 2016/2017 a taxa básica de juros caiu 5 pontos porcentuais, de 14,25% para 9,25% ao ano, na época do anúncio dos recursos para o atual período, em junho.

"Enquanto a Selic baixou cinco pontos, a taxa de juros agrícolas baixou um ponto", disse o secretário, na terça-feira, 10, durante palestra na Esalqshow, em Piracicaba, no interior de São Paulo.

Na opinião de Jardim, o setor que "tem a virtuosidade para a economia teve a penalização" com a política de juros adotada para esta safra. "Estamos passando por uma provação, mas o agronegócio busca uma saída. Tanto que o financiamento usando essa taxa de referência é de apenas um terço da safra e o restante é por meio de outras formas", explicou.

Para o secretário, "um novo ciclo impulsionador da economia" brasileira terá como ponto de partida a agricultura. "A capacidade de inovação e condições gerais de conformidade, com seguro e plano safra decentes, são os pontos básicos dessa política pública", concluiu.
Fonte: Estadão Conteúdo