Nova caldeira aumenta em 57% a capacidade da usina CerradinhoBio em exportação de energia

No último mês de setembro a empresa Cerradinho Bioenergia realizou, em Chapadão do Céu, sudoeste goiano, a sua expansão da nova fase da cogeração de energia. Aposta da empresa para diversificar o portfólio de produtos, a companhia investiu 250 milhões de reais na expansão da sua capacidade de geração de energia elétrica. As obras para instalação da nova caldeira, duas novas turbinas e dois novos geradores foram iniciadas em 2015.

caldeira2Na Safra 2016/17 a produção e exportação de energia da usina era de 540 GWh, já nesta, a capacidade total de produção e exportação de energia saltou para 850 GWh, um aumento de 57 % em relação à safra anterior, revelou Andréa Sanches Fernandes, Conselheira da Cerradinho Bio.

“Antes da ampliação da cogeração, o nosso potencial instalado era de 340 tv/h com uma única caldeira. Com a nova caldeira em operação temos a capacidade de geração de vapor de 740 tv/h. Isto mostra que tivemos um aumento de 118% na geração de vapor instalada em nossa planta industrial”, explica Andreia, que por mais de 20 anos foi diretora Industrial da empresa.    

A usina, que espera atingir nesta safra 5,4 milhões de t de cana-de-açúcar, tem o objetivo de estabilizar seu crescimento em 6,5 milhões de t de cana até safra 2022/23.

Segundo Andreia a nova caldeira apresenta sistema de controle de poluição do ar (lavador de gases) eficiente que assegura emissão dos particulados abaixo dos níveis preconizados na legislação ambiental vigente. Este mecanismo de controle gera efluente que, ao passar por tratamento adequado, é reutilizado no próprio sistema e as cinzas retornam ao solo como composto.

“A tecnologia empregada nesta caldeira traz significativos ganhos ambientais onde destaca-se a eficiência energética e o sistema de controle de poluição de ar. Assim, a Cerradinho, mais uma vez, demonstra, através de ações concretas, seu compromisso com a sustentabilidade”, finaliza.

De olho na sustentabilidade

A nova caldeira conta com sistema de ciclo regenerativo, método que permite produzir vapor e energia de forma eficiente. Além disso, a caldeira possibilita a queima de matérias-primas alternativas como cavaco de madeira, capim e além de outras fontes de carbono, como resíduos urbanos tratados, fato que se constitui um benefício ambiental em relação às usinas termelétricas movidas a óleo.

Outros dois turbo geradores, de 45 MW cada, também foram instalados. Agora detemos capacidade de produção total de 160 MW de energia, suficiente para abastecer um município de até 500 mil habitantes e suas indústrias. A partir da expansão de seus canaviais nas próximas safras, a CerradinhoBio terá biomassa suficiente para gerar e exportar 594 GWh de energia por safra, se transformando na maior termelétrica de biomassa do Brasil.

Revista RPAnews