São Martinho deve encerrar moagem de cana em dezembro; maior volume de produtos

O Grupo São Martinho, um dos maiores do setor sucroenergético brasileiro, prevê encerrar a moagem de cana deste ano no início de dezembro, com um volume processado menor do que o inicialmente esperado, mas com fabricação de açúcar e etanol acima das projeções iniciais.

"Devemos encerrar na 1ª semana de dezembro... A queda de moagem (prevista) deve-se ao veranico nos últimos três meses, que afetou os canaviais", afirmou nesta sexta-feira o diretor financeiro (CFO) da companhia, Felipe Vicchiato, referindo-se à estiagem que prejudicou as plantações principalmente entre setembro e outubro.

Em fato relevante divulgado na noite de quinta-feira, o Grupo São Martinho disse que deverá moer 22,194 milhões de toneladas de cana em 2017/18, 0,5 por cento abaixo do previsto anteriormente (22,3 milhões), mas ainda assim 15,1 por cento maior na comparação com o realizado em 2016/17 (19,28 milhões).

Segundo Vicchiato, o volume de moagem representa cerca de 92,5 por cento da capacidade instalada da empresa.

Apesar do corte da moagem, a companhia elevou em 0,5 por cento sua estimativa de produção de açúcar, para 1,407 milhão de toneladas, superior à de 1,301 milhão de toneladas da temporada anterior.

No caso do etanol, houve reajustes positivos de 6,8 por cento para o anidro e de 8,3 por cento para o hidratado, para 481 milhões e 466 milhões de litros, respectivamente. Em 2016/17, o Grupo São Martinho produziu 398 milhões de litros de anidro e 269 milhões de litros de hidratado.

Conforme Vicchiato, que participou de teleconferência com analistas e investidores, os reajustes positivos para os produtos também refletem o "veranico", uma vez que o clima mais seco favorece a concentração de sacarose nas plantas.

O nível de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) deve totalizar 139,3 kg por tonelada de cana processada, 4,4 por cento acima do esperado inicialmente.

As novas estimativas levam em conta um mix de produção de 48 por cento da oferta de cana para açúcar e 52 por cento para etanol. Anteriormente, os percentuais esperados eram de 49 e 51 por cento, respectivamente.

No segundo trimestre da safra 2017/18, equivalente ao terceiro do ano civil 2017 (julho a setembro), o Grupo São Martinho teve lucro líquido de 53,01 milhões de reais (queda de 23,1 por cento na comparação anual).

Fonte: Reuters