São Martinho venderá etanol de forma paulatina e com preços maiores

A São Martinho tem cerca de 64% do etanol desta safra para ser vendido na segunda metade da temporada e pretende vender todo o volume de forma paulatina, sem reservar estoque do produto para ser vendido no mercado físico para a próxima safra, afirmou Felipe Vicchiato, diretor financeiro da companhia, em teleconferência com analistas.

Na visão da companhia, o mercado de etanol na entressafra deverá ter uma oferta e demanda ajustadas. “Não terá escassez de etanol, a oferta está razoável para atender a demanda, mesmo que esta suba nos próximos meses”, afirmou.

Até o fim do segundo trimestre, a companhia detinha 453 milhões de litros de etanol em estoque e previa produzir mais 156 milhões de litros. O volume, acima do usual para a companhia, deve-se à consolidação da Usina Boa Vista, que produz apenas etanol. A opção de carregar mais etanol para a segunda metade da safra, segundo ele, foi mantida de acordo com a estratégia usual do grupo.

A venda desse montante mais elevado do biocombustível deve se beneficiar da recente reação dos preços, o que deve ajudar a geração de caixa da companhia no segundo semestre. “Após setembro, o preço de etanol está melhor, subiu próximo de 20%. E é nesses preços melhores que vamos vender o restante dos estoques”, observou.

Vicchiato avaliou que, mesmo que o preço da gasolina caia no mercado internacional neste verão, período em que o combustível costuma recuar sazonalmente no mundo, o repasse não chegará integralmente na bomba. Ele ressaltou que a recente alta do dólar deve compensar uma eventual queda do preço da gasolina. (Valor Econômico)