Tecnologias apoiarão produção em Minas; Cana-de-açúcar é um dos destaques

Com a crescente demanda mundial por alimentos, o Brasil é visto como um dos principais países capazes de ampliar a produção e atender à necessidade de alimentar a população. Neste cenário, Minas Gerais está entre os estados que podem ampliar a produção de grãos e proteínas.

No Estado, a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) elaborou o documento "Projeções do Agronegócio Mineiro 2017 a 2027", que, por meio de dados históricos, mostra as tendências sobre as produções agrícola e pecuária. A expectativa é de que a produção mineira cresça significativamente até 2027 com o uso de novas tecnologias e aumento da produtividade.

O documento "Projeções do Agronegócio Mineiro 2017 a 2027" foi elaborado com base nos dados históricos dos últimos 20 anos e tem o objetivo de identificar tendências e estruturar visões de futuro do agronegócio no contexto estadual. Para o levantamento foram analisados o comportamento dos produtos, nas variáveis de área, produção, exportação, importação, vacas ordenhadas e animais abatidos.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Leitão, para que o aumento da produção de alimentos em Minas Gerais ocorra de forma sustentável é preciso planejamento, estruturação e políticas públicas eficazes e o documento é importante para balizar o trabalho da Seapa e das vinculadas, que são a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado de Minas Gerais (Epamig) e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

"O estudo identifica o potencial de crescimento das produções agrícola e pecuária em Minas Gerais. Ele é importante e irá nos auxiliar na identificação de tendências e gargalos, o que será fundamental para balizar as políticas públicas, identificando onde devemos prestar mais atenção e o que precisa ser feito", explicou Leitão.

Durante o decênio, as mudanças climáticas continuarão sendo um dos grandes desafios para o agronegócio mineiro. Os produtores também terão que investir em formas de tornar a produção mais sustentável, o que garante competitividade e atende aos consumidores, que estão cada vez mais exigentes em relação à preservação e uso correto dos recursos naturais e a uma alimentação mais saudável.

A tendência é que ocorram grandes mudanças no padrão tecnológico da produção, que tende a se tornar muito mais dinâmico, favorecendo o aumento da produtividade.

As novas tecnologias terão papel fundamental para promover a redução dos desperdícios de insumos, reduzir os riscos de contaminação humana e ambiental. Além disso, a rastreabilidade dos produtos será um diferencial no mercado, o que vem sendo cada vez mais cobrado e valorizado pelos consumidores.


Cana-de-açúcar

Um produto com expectativas positivas é a cana-de-açúcar. De acordo com o levantamento, há indicativos de aumento em 54,9% da área e 62,4% da produção, também com ganhos de produtividade. A estimativa é chegar em 2027 com uma colheita próxima a 115,1 milhões de toneladas de cana.

"A produção será estimulada não só pelo açúcar, mas pelo fato de a cana ser uma fonte de energia renovável e limpa. Para que a estimativa de crescimento se concretize, o setor precisa de políticas específicas que estimulem a atividade", explicou Leitão.

Fonte: Diário do Comércio