Compartilhar
Estufa de produção de Mudas Pré-Brotadas – MPB da BP Bunge Bioenergia (Crédito: Divulgação BP Bunge)

A BP Bunge tem desenvolvido uma série de variedades com foco no aumento da produtividade para atender às 11 unidades da companhia, de acordo com as características geográficas, geológicas e climáticas de cada região.

Em seu  o núcleo de produção de Mudas Pré-Brotadas – MPB, localizado na unidade Moema, em Orindiúva, SP, a BP Bunge atualmente é capaz de produzir cerca de 3,4 milhões de mudas de cana-de-açúcar ao ano.

Leia mais: Cientistas obtêm nanocristais da palha da cana-de-açúcar

O plantio com MPB na lavoura da cana-de-açúcar garante sanidade, rastreabilidade e confiança da origem do material, o que resulta em um canavial de alto potencial produtivo. Para introduzir de maneira segura e rápida essas variedades de qualidade elevada, o plantio está direcionado à implantação de linhas mães de meiose.

“Nossas variedades são testadas em cada uma das regiões que temos unidade, e são escolhidas as que melhor se adaptam aos ambientes de produção, garantindo a mais adequada adaptação e, portanto, maior produtividade, que é o nosso principal objetivo”, explica Rogério Bremm, diretor Agrícola da BP Bunge Bioenergia.

O desenvolvimento das mudas é feito com parceiros como o IAC (Instituto Agronômico de Campinas), o CTC (Centro de Tecnologia Canavieira) e a Ridesa (Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético), na busca de varietais com características específicas para cada ambiente.

Leia mais: Atividades em usinas sucroalcooleiras do Nordeste crescem na safra 2020/21

Criado em 2019, o núcleo de MPB já em seu primeiro ano ampliou a produção de mudas em 22%, passando de 2,809 milhões de unidades para 3,424 milhões em 2020. O custo unitário médio das mudas chega a ser até 50% menor do que o praticado pelo mercado.

Excelência em manejo de variedades

Em novembro de 2020, a unidade Monteverde da BP Bunge Bioenergia, localizada no município de Ponta Porã (MS), recebeu o Prêmio Excelência 2020, concedido pelo Programa Cana – IAC (Instituto Agronômico de Campinas) por seu destaque no manejo de variedades de cana-de-açúcar naquele Estado.

Cadastre-se em nossa newsletter