Cana: adubo líquido traz benefícios e reforça sustentabilidade na produção da Adecoagro

Adecoagro utiliza desde 2018 vinhaça concentrada para produzir adubo líquido, aplicado em cerca de 100 mil hectares de cana, e obter resultados positivos com ganhos financeiros e de produtividade

Um fertilizante organomineral produzido de acordo com as necessidades de cada solo, utilizando subprodutos do processo, trazendo representativos resultados econômicos e ambientais no setor sucroenergético. Assim é o adubo líquido fabricado pela Adecoagro desde 2018 em suas duas unidades no Mato Grosso do Sul a partir da concentração da vinhaça gerada na indústria.

De acordo com a empresa, em 2020, cerca de 100 mil hectares de canaviais receberam o adubo líquido, que possui até registro no Ministério da Agricultura, proporcionando ganhos de produtividade na lavoura e a utilização correta e segura da vinhaça concentrada no processo.

Além disso, segundo a Adecoagro, a companhia dispõe de concentradores em suas unidades Angélica e Ivinhema que retiram o máximo de água possível da vinhaça in natura, possibilitando o seu transporte mais econômico para o campo.

Ao todo, cerca de 70 milhões de litros do adubo líquido são fabricados mensalmente misturando vinhaça concentrada com Nitrogênio, Fósforo, Potássio, Boro, Zinco e Enxofre.

O adubo é então aplicado após a colheita da cana por meio de tratores com tanques de arrasto e caminhões com tanques acoplados com jato dirigido em cima da linha da cana.

A adubação organomineral em aplicação localizada permite melhor aproveitamento de nutrientes e economia com fertilizantes minerais. Segundo o grupo, o método também traz muitas outras vantagens:

  • Destinação adequada da vinhaça gerada pela indústria;
  • Melhor controle da dosagem de nutrientes no solo;
  • Maior eficiência na distribuição;
  • Proteção contra o pisoteio do solo e máxima reciclagem de nutrientes;
  • Reduzindo a quantidade global de nutrientes adicionada para manter a produção.

A Equipe de Tratos Culturais fabrica o adubo líquido a partir das recomendações da Área de Planejamento Agrícola. A produtividade é aumentada em função da aplicação do produto de forma localizada, garantindo a chegada dos nutrientes onde a planta necessita.

A adição de matéria orgânica no solo promove o aumento das atividades microbiológicas. A inovação gera também ganhos financeiros já que o potássio do adubo líquido supre a compra de 20.000 toneladas de cloreto de potássio, com redução de custos na aquisição de fertilizantes minerais de aproximadamente R$ 30 milhões anualmente.

Há também o nitrogênio da vinhaça concentrada que reduz a demanda de ureia em 3.000 toneladas, reduzindo a despesa com fertilizantes nitrogenados em aproximadamente R$ 5 milhões anualmente.

O projeto da Adecoagro visa, nos próximos anos, maximizar a reciclagem de nutrientes em níveis mais elevados que os já alcançados bem como melhorar a qualidade do adubo líquido no fornecimento de todos os nutrientes que a cana necessita.

Já na aplicação em campo, vai continuar investindo em tecnologia dos implementos aplicadores com o objetivo de aperfeiçoar o controle e qualidade nesta etapa.