Compartilhar

O uso do ativo biológico Bacillus aryabhattai, descoberto pelo pesquisador da Embrapa, Itamar Melo, em mudas pré-brotadas tem mostrado resultados benéficos no desenvolvimento de algumas variedades de cana-de-açúcar.

Os cientistas da Embrapa têm pesquisado o potencial da inoculação do microrganismo nas mudas de cana quando estas são submetidas a diferentes regimes de fornecimento de água após transplantio.

A pesquisa tem demonstrado que pode haver efeito benéfico do uso do ativo biológico, dependendo da cultivar de cana utilizada.

Segundo o pesquisador da Embrapa Meio Ambiente, André May, que faz parte da equipe do projeto, ao longo do período experimental foram avaliadas a mortalidade, a altura das plantas, o número de folhas, o diâmetro do colmo e número de perfilhos, além de outras características importantes.

Ao final da pesquisa, foram medidas também a massa seca da parte aérea e a massa seca de raízes das plantas.

O que pode ser observado foi um efeito do uso do ativo biológico no crescimento da parte aérea, afetando também a massa das plantas, o diâmetro e altura do colmo.

“Observou-se ainda que o desenvolvimento das raízes foi influenciado pelo uso do ativo, dependendo do cultivar e da quantidade de água aplicada no sistema”, destaca o pesquisador.

Entretanto, de acordo com May, novas pesquisas ainda precisam ser realizadas, pois existe uma grande variação na resposta do ativo biológico de acordo com o material genético utilizado.

Cadastre-se em nossa newsletter