Com 95% das obras concluídas, nova usina deve gerar cerca de 500 vagas

As obras da Usina Nova Aliança, antiga Everest, em Penápolis, interior de São Paulo, já estão 95% concluídas. A expectativa é que a safra aconteça este ano. Para isso, o empresário Roberto Egreja informou que aguarda os licenciamentos dos órgãos competentes.

“Nossa previsão é moer 150 mil toneladas em julho”, disse. Atualmente, trabalham no local cerca de 100 pessoas, atuando em diferentes frentes de serviço, desde obras físicas até manutenção e implantação de equipamentos e máquinas. O valor total do investimento está estimado em cerca de R$ 12 milhões.

Além de Egreja, mais 18 sócios assumiram a usina, em 2018. Desde então, iniciaram-se os trabalhos de recuperação das instalações já existentes e término das demais estruturas e equipamento necessários para o início da produção. Desse modo, a previsão é que sejam gerados 200 empregos na indústria e outros 300 no campo, de forma terceirizada.

A expectativa é que a moagem, quando a usina estiver em pleno funcionamento, é de 500 mil toneladas de cana-de-açúcar e produção de 20 milhões de litros de álcool e 30 mil sacos de açúcar. A Nova Aliança terá um sistema de automação próprio, que produzirá, através do bagaço da cana, energia elétrica suficiente para manter a indústria em funcionamento.

Inclusive existe a perspectiva de gerar um excedente que, por sua vez, retornará para a concessionária, motivando um crédito para a usina.

Mas, desse modo. mas.