Cosan tem lucro, mas registra queda em moagem

A empresa de infraestrutura e energia Cosan informou nesta segunda-feira que registrou lucro líquido de 418,3 milhões de reais no segundo trimestre, ante prejuízo de 64,3 milhões de reais no mesmo período do ano passado.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou 1,18 bilhão de reais, alta de 14,1% no comparativo anual.

A Cosan informou ainda que a moagem de cana da Raízen Energia, joint venture da empresa com a Shell, ficará entre 61 milhões e 63 milhões de toneladas na temporada 2019/20, estável ante previsão anterior.

Segundo a Cosan, chuvas atrasaram o início das operações da companhia na safra 2019/20, e a moagem no período totalizou 21 milhões de toneladas (-7%). Já a produtividade média do canavial foi de 9,4 kg ATR/ha (-2%), pela maior diluição de sacarose na cana.

A produção de açúcar equivalente foi de 2,4 milhões de toneladas (-11%), com foco na maximização da produção do etanol (51% do mix da cana), disse a empresa.

A Raízen energia teve Ebtida ajustado 402 milhões de reais (-18% ante o mesmo período do ano passado), reflexo principalmente do menor volume próprio vendido de açúcar e bioenergia no período.

Já a Raízen Combustíveis Brasil alcançou Ebitda ajustado de 565 milhões de reais ( 4,5% ante o mesmo período do ano passado) e crescimento de 8% no volume de vendas, com destaque para o etanol e diesel.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui