Compartilhar

Pensamento lateral

Ricardo Pinto

Responda a estas perguntas:

a) Quanto é a metade de dois mais dois?

b) Três gatos comem três ratos em três minutos. Em quanto tempo 100 gatos comerão 100 ratos?

c) O pai de Maria tem cinco filhas: Dadá, Dedé, Didi, Dodô e… Qual é o nome da quinta filha?

Se suas respostas foram: a) 2, b) 100 minutos, e c) Dudu, você usou de seu raciocínio usual. E errou. Nossa mente foi treinada, desde quando éramos crianças, para achar soluções comuns e previsíveis para os mais variados problemas. É o modo como somos educados. Desta forma, nosso raciocínio demonstra um limitado poder de busca e exploração de soluções alternativas. Via de regra, é um raciocínio linear e continuísta. Foi chamado por Edward de Bono, um importante estudioso norte-americano do assunto, de Pensamento Vertical.

O contrário do Pensamento Vertical, conforme conceito também desenvolvido por Edward de Bono, é o Pensamento Lateral. Esta forma de raciocínio consiste na geração de novas ideias ao mesmo tempo em que se abandonam as obsoletas ou comuns. É um processo sistemático e deliberado de ativar nossa capacidade mental de explorar novos caminhos, quebrar princípios estabelecidos e encarar a realidade de um modo diferente.

Se você tivesse buscado o seu Pensamento Lateral para responder às questões do início deste texto, teria chegado às respostas: a) 3, b) 3 minutos, e c) Maria.

O mundo atual tem proporcionado grandes evoluções. Ao mesmo tempo, tem apresentado desafios crescentes às pessoas, às empresas e até aos países.

Para superar tais desafios, temos que, cada vez mais, adotar este tipo de pensamento que complementa o tradicional, que proporciona criar e implementar continuamente soluções criativas em nosso cotidiano: o Pensamento Lateral.

Temos vários exemplos de uso de Pensamento Lateral no mundo empresarial, quando pessoas desafiaram concepções, procedimentos e processos tradicionais. São os casos do post-it (papel autocolante para recados da 3M, oriundo de uma cola que não funcionava direito) e do velcro, bolado em 1948 por George de Mestral, após ele ter que tirar carrapichos do pelo de seu cachorro.

Assim, enquanto o Pensamento Lateral gera as ideias – sendo fundamental em processos de brainstormings -, o Pensamento Vertical as desenvolve.

Nas empresas, o Pensamento Lateral é uma técnica a ser fomentada para aumentar a criatividade da organização, buscando resolver problemas, identificar oportunidades, otimizar processos e gerar alternativas melhores. Logo, para usarmos mais nosso Pensamento Lateral, devemos estimular nosso cérebro seguindo quatro passos: a) reconhecendo as ideias dominantes que mais atraem nossa percepção da questão em foco, b) procurando por diferentes formas de enxergar os fatos, c) relaxando o controle que normalmente impomos ao nosso pensamento, e d) usando a oportunidade para incentivar outras ideias. Lembre-se que o Pensamento Lateral envolve ideias de baixa possibilidade, ou seja, improváveis de ocorrer normalmente.

Finalmente, aí vão três dicas para se fazer isso a partir de agora:

1) Analise suas atividades atuais, ou seja, observe atentamente cada momento do seu dia;

2) Pense em como você pode simplificar estas atividades;

3) Descubra o que você pode reinventar.

Cadastre-se em nossa newsletter