Vendas de etanol estão 25% menores na safra 2020/2021

No acumulado, a comercialização do biocombustível apresenta redução de 24,83% em relação a safra passada

As vendas de etanol por usinas do Centro- Sul na primeira quinzena de junho deste ano caíram 10,50% (1,18 bilhão de litros ) em relação ao mesmo período de 2019 (1,31 bilhão de litros), de acordo com balanço divulgado nesta quarta (24) pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). No acumulado, desde o início da safra 2020/2021, a comercialização do biocombustível apresenta retração de 24,83%, somando 5,15 bilhões de litros.

Apesar disso, o ritmo de queda nas vendas de etanol, que chegou a 40,60% na última metade de maio, foi reduzido para 22,97% nos primeiros quinze dias de junho.

O inglês é fundamental em todas as profissões, sabia? No setor sucroenergético não é diferente. Confira as principais expressões traduzidas do português para o inglês agora mesmo.

Preencha o formulário abaixo e baixe seu Guia de inglês

“A queda das vendas de etanol carburante observadas na safra 2020/21 foram parcialmente compensadas pela maior demanda por álcool não carburante e pelo maior volume destinado à exportação”, afirmou Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da UNICA.

Do total de etanol vendido, 1,05 bilhão de litros foi comercializado no mercado doméstico e 121,99 milhões de litros foram para exportação.

No mercado interno, as vendas de etanol hidratado tiveram redução de 19,61%, alcançando 735,79 milhões de litros na primeira metade de junho, contra 915,23 milhões de litros no mesmo período de 2019.

Já o etanol anidro registrou queda de 10,74%, com 317,71 milhões de litros vendidos em 2020. No ano anterior, foram vendidos 355,92 milhões de litros.

O volume fabricado de etanol, entretanto, alcançou 1,83 bilhão de litros nos primeiros quinze dias de junho. No acumulado, já foram fabricados 8,04 bilhões de litros do combustível.

Mix açucareiro

Para se blindarem da retração no mercado de etanol, as usinas seguem maximizando a produção de açúcar, favorecidas pela demanda internacional.

Na primeira metade do mês, 47,11% da cana-de-açúcar foi destinada à produção de açúcar, ante 35,69% registrados na mesma data de 2019.

Também houve crescimento de 60,56% na exportação do adoçante, totalizando 4,88 milhões de toneladas, no acumulado desde o início da safra 2020/2021.

“A crescente procura por açúcar brasileiro, tanto no mercado doméstico como externo, neutralizou parte do impacto negativo causado pela redução na demanda por etanol”, explicou Rodrigues. Segundo ele, a produção de açúcar apresenta crescimento em torno de 57% até o momento.

Usinas em operação

Em relação ao número de usinas em operação, 251 empresas registraram produção até dia 16 de junho. No ano passado eram 253 unidades em funcionamento. Na próxima quinzena, espera-se que 8 empresas iniciem suas operações.

“Nesse número de unidades em operação, temos 3 empresas que haviam interrompido a moagem da cana em anos anteriores e retomaram as suas atividades nesta safra”, concluiu Rodrigues.