Compartilhar

Os contratos futuros do açúcar fecharam a semana em baixa na última sexta-feira (7) nas bolsas internacionais. Segundo analistas de mercado ouvidos pela Reuters, as perspectivas de melhora para a produção de cana no Brasil influenciam diretamente a colocar o mercado na defensiva.

Em Nova York, na ICE Future, o açúcar bruto, no vencimento março/22, foi comercializado a 18,05 centavos de dólar por libra-peso, 14 pontos a menos do que os preços da véspera. Já a tela maio/22 caiu 12 pontos, negociada a 17,80 cts/lb. Os demais lotes recuaram entre 1 e 11 pontos.

Ainda segundo operadores, os movimentos na bolsa ocorrem mesmo em meio a preocupações do mercado quanto às condições climáticas no Brasil, principal produtor da commodity, que registra atualmente chuvas excessivas em algumas regiões e estiagem severa no sul do País.

Na ICE Future Europe, em Londres, a sexta-feira também fechou desvalorizada em todos os lotes do açúcar branco. O vencimento março/22 foi contratado a US$ 485,80 a tonelada, desvalorização de 0,30 dólar no comparativo com a véspera. Já a tela maio/22 desceu 0,70 dólar, com as negociações em US$ 479,80 a tonelada. Os demais contratos caíram entre 1,70 e 2,00 dólares.

Pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP, a saca de 50 quilos do açúcar cristal fechou a sexta-feira a R$ 152,93, com um recuo de 0,12%.

Cadastre-se em nossa newsletter