Compartilhar

A sucroalcooleira goiana Jalles Machado deverá investir R$ 517,4 milhões nas próximas três safras para expandir sua capacidade total de moagem de cana em 1 milhão de toneladas por safra, para 6,3 milhões de toneladas em 2024/25. O aporte foi aprovado em reunião do conselho de administração da companhia realizada ontem.

A Unidade Jalles Machado (UJM) terá sua capacidade ampliada em 300 mil toneladas, e a Unidade Otávio Lage (UOL), em 700 mil. Os investimentos terão início neste ciclo 2021/22.

Para a expansão, R$ 231,2 milhões serão aportados na parte industrial (usinas e estrutura de armazenagem) e R$ 148,2 milhões na área agrícola (plantio de cana e maquinário). A companhia também investirá R$ 45 milhões em projetos de irrigação, para garantir produtividade elevada dos canaviais.

A Jalles Machado decidiu, ainda, destinar R$ 93 milhões à unidade de cogeração de energia a partir do bagaço da cana na UOL, cujas operações são desenvolvidas em sociedade com a Albioma Codora Energia. O valor será destinado à compra de uma nova caldeira. Com a caldeira, a usina terá mais energia para processar um volume maior de cana, acrescentando à capacidade de processamento 500 mil toneladas.

O equipamento também permitirá à usina ter mais flexibilidade para produzir açúcar convencional e orgânico (que é vendido com prêmio). Além disso, o investimento permitirá substituir o recolhimento de palha da cana no campo por um volume maior de bagaço resultante da moagem, o que possibilitará uma redução de custos de aproximadamente R$ 10 milhões ao ano.

Os investimentos fazem parte do plano de crescimento da companhia com o uso dos recursos do IPO realizado em fevereiro. Outra parcela do dinheiro captado na ocasião será direcionada para a compra de uma usina, conforme indicado pela Jalles Machado.

Cadastre-se em nossa newsletter