Compartilhar

Com as operações combinadas, serão 35 unidades produtoras com uma capacidade total de produção de 105 milhões de t de cana, 4.954 milhões de t de açúcar e 3.844 milhões de l de etanol

Canavial Raízen drones pulverizadores
Com a aquisição, a Raízen se torna uma gigante na produção de açúcar e renováveis (Crédito: Divulgação/Raízen)

Por Natália Cherubin

A Cosan S.A informou hoje cedo, dia 8 de fevereiro, que sua controlada, Raízen Energia S.A, acaba de fechar o contrato de aquisição da Biosev, com a compra de 100% das ações da companhia pela Hédera Investimentos e Participações S.A, acionista controladora da Biosev.

Conforme a nota para acionistas e mercado, em linhas gerais, trata-se de uma combinação de negócios envolvendo uma troca de ações, com emissão de 3,5% de ações preferenciais da Raízen, e um valor pago em dinheiro (R$3,6 bilhões) para refinanciamento da dívida da Hédera de forma eficiente.

Desta forma, após a conclusão da Operação, a alavancagem da Raízen, medida pelo índice Dívida Líquida/EBITDA, será preservada. Adicionalmente, haverá emissão de 1,4999% em ações resgatáveis, por um valor simbólico, e uma estrutura de Earn-out, com objetivo de dividir eventuais variações no preço de açúcar e etanol. Essas Ações Resgatáveis e o Earn-out deixarão de existir quando ocorrer um evento de liquidez da Raízen.

Líder em biocombustíveis e açúcar

A operação, segundo a Raízen, se encaixa estrategicamente no plano de negócios de longo prazo da companhia baseado “no fortalecimento de sua posição de liderança no processo de transição energética, através da ampliação da oferta de de energia mais eficiente, limpa e renovável, e está em conformidade com o alto nível de disciplina financeira da Raízen”, disse em nota, Marcelo Eduardo Martins, diretor e Vice-Presidente Financeiro e de Relações com Investidores da Raízen.

Agora, com as operações combinadas, serão 35 unidades produtoras com uma capacidade total de 105 milhões de t de cana, produção de 4.954 milhões de t de açúcar e 3.844 milhões de l de etanol. A eletricidade, junto as unidades Biosev, agora sobem para 3.000 Mwh.

Dados divulgados em nota pela Raízen

Como será a operação

Como parte da operação a Raízen emitirá novas ações para a Hédera, como resultado de um aumento de capital, divididas em duas classes diferentes de ações preferenciais, com
características distintas.

Serão 3,5000% do capital social da Raízen, na forma de ações preferenciais não-resgatáveis e sem direito de voto (“Ações Preferenciais”); e 1,4999% do capital social da Raízen, na forma de ações preferenciais resgatáveis a valor simbólico e sem direito de voto (“Ações Resgatáveis”);

A Raízen, de acordo com nota, também pagará R$ 3,6 bilhões como preço em dinheiro por novas ações da Biosev, na data de fechamento da Operação (“Fechamento”), sujeito a determinados direitos de preferência previstos em lei (“Preço em Dinheiro”).

Os recursos provenientes deste pagamento serão utilizados pela Biosev para repagar parcialmente sua dívida financeira atualmente existente, uma vez que a Biosev será transferida para a Raízen livre de sua dívida líquida existente, bem como com uma posição de capital de giro normalizado, imediatamente após o Fechamento.

“O preço em dinheiro estará sujeito ao mecanismo de ajuste de preço usual baseado nas variações das posições de dívida líquida e capital de giro, bem como outros determinados ajustes”, afirma a Martins em nota.

Após o quinto aniversário da data de Fechamento, a Raízen poderá ter que pagar à
Hédera um valor adicional e contingente em dinheiro (“Earn-out”), limitado a R$ 350
milhões.

Este valor dependerá de determinadas metas baseadas no preço de mercado
do açúcar e do etanol, como definido no Contrato. Caso ocorra um evento de liquidez
até tal data, a estrutura de Earn-out ficará automaticamente cancelada, sem
obrigações adicionais para a Raízen.

Acordo com acionistas

Na data de Fechamento, a Hédera e os acionistas controladores da Raízen celebrarão um acordo de acionistas para estabelecer direitos e obrigações usuais da Hédera como acionista minoritária da Raízen (“Acordo de Acionistas”), bem como as opções de compra
e venda acima mencionadas.

O Acordo de Acionistas será automaticamente cancelado caso a Raízen faça uma oferta inicial de ações em bolsa de valores, dentro de certos critérios estabelecidos no Acordo de Acionistas.

Conclusão da operação

A expectativa é de que o fechamento da operação ocorra dentro dos próximos
seis meses. A consumação da operação está sujeita à satisfação de determinadas condições suspensivas estabelecidas no contrato.

Entre outras, as principais condições são que a Biosev conduza uma reestruturação de seu endividamento financeiro atual, levando em consideração que a operação inclui apenas a
aquisição de seus ativos (Equity) sem qualquer dívida, preservando o nível de alavancagem da Raízen.

Além disso, a Biosev deverá conduzir uma reestruturação societária que levará a Biosev a não mais ter suas ações negociadas em bolsa, bem como segregará (carve out) as participações acionárias da Biosev na TEAG e na Crystalsev, uma vez que tais ativos não estão abrangidos na Operação. Espera-se ainda a aprovação da operação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica –CADE.

RPAnews, com informações oficiais divulgadas pela Raízen

Cadastre-se em nossa newsletter