Compartilhar

O sistema de comunicação digital adotado tem como objetivo obter maior controle da velocidade dos veículos, garantindo mais segurança e eficácia no transporte de cargas

Adecoagro frota
O uso da rádio digital vai permitir maior controle da velocidade dos veículos, garantindo mais segurança e eficácia no transporte de cargas das usinas da Adecoagro

A Adecoagro, grupo sucroenergético com três usinas de cana com capacidade de moagem de aproximadamente 14,2 milhões de t por ano e cerca de 6.500 funcionários, adotou sistema de rádio digital para alavancar o projeto de transformação digital em duas unidades do cluster no Mato Grosso do Sul.

Com o uso do sistema de rádio digital da Motorola Solutions, a Adecoagro unificou a comunicação entre os caminhões canavieiros e o Centro de Operações Agrícolas (COA) com o objetivo de obter maior controle da velocidade dos veículos, garantindo mais segurança e eficácia no transporte de cargas.

O Centro de Operações Agrícolas (COA) da empresa, responsável por identificar gargalos que possam comprometer a produtividade e a otimização de recursos, enfrentou desafios complexos relacionados ao acompanhamento das suas frotas e ao controle de velocidade dos equipamentos com o sinal GPRS – o qual não atendia aos 100 quilômetros de raio de cobertura da companhia, área maior do que todo o território da Bélgica.

Leia também: Adecoagro recebe mais uma vez o ‘Selo Mais Integridade’ do MAPA por boas práticas

Após um estudo detalhado da área de cobertura dos serviços e extensa pesquisa sobre as necessidades de comunicação, a Adecoagro decidiu implementar um novo sistema de comunicação de rádio digital e um software de gerenciamento como uma solução integrada.

“A ferramenta tem auxiliado o COA ao permitir um contato direto com os motoristas e, com isso, aumentamos nosso nível de segurança e evitamos perdas de tempo indevidas e erros de percurso, com o redirecionamento de rotas em caso de imprevistos”, diz Marcus Vinicius Silva Migliorança, supervisor do COA e de Geotecnologia na Adecoagro.

Ainda de acordo com Migliorança, depois da implementação do sistema, o número de acidentes ou de perda de carga foi reduzido. Os caminhões rodam mais de 9 milhões de km por ano, o equivalente a 12 viagens de ida e volta à lua, e o sistema permite o monitoramento constante dos trechos mais perigosos da estrada, elevando o nível de segurança dos motoristas.

A solução oferece suporte a aplicações de gerenciamento de frota, controle de velocidade, integração de soluções de gravação de voz e dados, rastreamento de localização por GPS e relatórios gerenciais, entre outros.

A provedora da tecnologia também fornece rádios para cerca de 900 usuários, permitindo maior controle do deslocamento dos veículos e mais segurança e eficiência no transporte de cargas.

Os relatórios gerados por meio de monitoramento em tempo real auxiliam na análise da qualidade do trabalho, como a utilização de cercas virtuais para monitorar o tempo que uma pessoa ou veículo passa em determinado local, além de fornecer informações sobre excesso de velocidade, ajudando a conscientizar e prevenir acidentes.

Tecnologia reduz possibilidade de paradas

O sistema usado na Adecoagro opera em uma rede de rádio digital bidirecional DMR privada, disponível 24x7x365, reduzindo ao mínimo as possibilidades de ser afetado por tempo não planejado de inatividade.

Esse é o resultado do diferencial do sistema comparado ao GPRS ou aos sistemas de satélite, que possuem áreas de sombra (sem cobertura de sinal) ou são afetados por condições climáticas adversas.

“Estamos muito satisfeitos por trabalhar com a Adecoagro e nosso parceiro, o Grupo Ferrante, para reduzir os riscos de operar em áreas remotas, proporcionando uma comunicação eficaz onde o alcance é difícil para outros sistemas”, diz Luis Rocha, diretor de Canais da Motorola Solutions.

“Nosso sistema agiliza as operações e fornece aos gerentes a visibilidade que precisam para reduzir custos e melhorar a produção”, acrescenta.

Os planos futuros da parceria entre a Adecoagro e a Motorola incluem possível expansão do projeto no cluster do Mato Grosso do Sul para os demais equipamentos da operação, como plantio, tratos e preparo de solo, e também de ampliação para a unidade Monte Alegre (MG), além do uso de outras aplicações ao agronegócio e a integração com sensores.

Cadastre-se em nossa newsletter