Compartilhar

A CRV Industrial e a Cooper –Rubi, usinas sucroenergéticas localizadas no Vale do São Patrício (GO),  receberam a certificação internacional Halal, que  assegura que os produtos alimentícios foram produzidos de acordo com a jurisprudência islâmica, e, portanto, estão competentes  a serem exportados para países muçulmanos.

Halal é uma palavra árabe que significa lícito, permitido. Mas também é um conceito que permeia a alimentação e o uso de produtos cosméticos e farmacêuticos por muçulmanos em todo o mundo.

Essa é a primeira vez que as unidades conquistam essa certificação que garante a exportação do alimento, no caso o açúcar cristal branco, para essas nações do mundo. As auditorias foram realizadas remotamente.

“Quando um alimento possui certificação Halal, consequentemente está atestado ter sido produzido em todas as suas etapas dentro das regras de religião. Além disso, os produtos certificados são mais seguros, já que a higiene e limpeza são pontos fundamentais durante todo o processo de certificação”, explica a engenheira de alimentos, Anna Flaviele.

Vale evidenciar que dentre os documentos de exportação quando o destino é algum país islâmico, o certificado Halal é um dos mais importantes.  Essa representa uma chave de acesso a um mercado em ascendência, o mercado de consumo muçulmano , que atualmente conta com  1,9 bilhão de consumidores no mundo. E as estimativas para 2060 é que uma, em cada três pessoas, seja muçulmana.

No Brasil

Dados do último relatório global do estado da economia islâmica mostram que o Brasil é o maior exportador de comida Halal do mundo. Em 2019, por exemplo,  o país exportou US$ 16,2 bilhões nesse tipo de produto, 12% a mais do que o segundo colocado, a Índia, que negociou US$ 4,4 bilhões. O país tem um  nível elevado de credibilidade e tornou-se um dos países mais respeitados neste ramo.

Cadastre-se em nossa newsletter