Compartilhar
Os preços do açúcar encerraram a semana em baixa. Segundo o jornal Valor Econômico de hoje (21), a melhora nas expectativas para a oferta da commodity na safra 2016/2017 pressionou os preços na sexta-feira (18). De acordo com a Organização Internacional do Açúcar (OIA), a safra 2016/17 deverá registrar uma produção de 168,7 milhões de toneladas e consumo de 174,9 milhões de toneladas, com um déficit na oferta estimado em 6,2 milhões de toneladas. 
 
Na bolsa de Nova York, os papéis com vencimento março/17 caíram sete pontos e os negócios foram fechados a 20,15 centavos de dólar por libra-peso. Nos lotes maio e julho/17, a desvalorização foi de nove pontos na comparação com o dia anterior.
 
Em Londres, na tela março/17, o açúcar foi comercializado a US$ 535,90 a tonelada, recuo de 2,00 dólares no comparativo com a véspera. Nos outros lotes, a variação negativa foi de 1,40 a 2,60 dólares.
 
Para o Diretor da Archer Consulting, Arnaldo Luiz Corrêa, o que ainda pode fazer o mercado subir em centavos de dólar por libra-peso é a sintonia fina que teremos quando nos aproximarmos do início do próximo ano com a melhora da percepção de que provavelmente teremos uma safra de cana menor no Centro-Sul. "Isso pode impulsionar os preços em NY. A maioria das usinas com quem tenho falado mostra preocupação com a safra de cana do próximo ano que – consensualmente – aponta que deverá ser menor do que 590 milhões de toneladas de cana. Petróleo acima dos 50 dólares por barril melhora a arbitragem do etanol com a gasolina, isto é, o início de safra (interferindo no maio/2017) pode ser menos açucareira", disse Corrêa.
 
 
Mercado doméstico
 
No mercado interno, o açúcar tipo cristal também encerrou a semana desvalorizado. Segundo o Cepea/Esalq, da USP, a saca de 50 quilos foi vendida a R$ 97,87, um recuo de 0,46% no comparativo com os preços praticados no dia anterior.
 
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Cadastre-se em nossa newsletter