Açúcar: tensões entre China e EUA refletem nos preços e produto fecha em queda

Os preços do petróleo foram pressionados pela tensão entre China e Estados Unidos e fecharam em queda nessa quarta-feira (27). Isso refletiu nos contratos futuros do açúcar, que também desvalorizaram.

Na ICE, em Nova York, os contratos futuros do açúcar com vencimento para julho/20 foram fixados em 10.80 centavos de dólar por libra-peso, queda de 25 pontos. Os contratos para outubro/20 fecharam em 10.94 centavos de dólar por libra-peso, queda de 16 pontos. Os demais vencimentos caíram entre 2 e 11 dólares. Apenas o lote para maio/21 fechou em alta, subindo 1 ponto.

De acordo com a Reuters, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ontem que está trabalhando em uma forte resposta à legislação de segurança proposta pela China para Hong Kong. “Preços mais baixos da energia encorajam usinas de cana do Brasil a aumentar a produção de açúcar em detrimento do etanol”, publicou a agência de notícias.

Em Londres, os contratos para agosto/20 foram firmados em US$ 364,00 a tonelada, queda de 12,40 dólares. Os contratos para outubro/20 caíram 4 dólares e fecharam em US$ 345,10 a tonelada. Os demais lotes recuaram entre 2,90 e 3,60 dólares.

No Brasil os preços tiveram uma leve alta. Em São Paulo, a saca de 50 kg de açúcar cristal fechou em R$ 75,27, pelo indicador Cepea/Esalq, da USP, alta de 1,13% quando comparado ao valor da véspera.