BNDES aprova financiamento de R$ 21,9 milhões para ampliação planta de biogás

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou um financiamento de R$ 21,9 milhões à Geo Energética para a ampliação, na planta da empresa em Tamboara (PR), da capacidade de cogeração de energia elétrica a partir do biogás resultante da vinhaça, resíduo industrial da moagem de cana-de-açúcar.

O financiamento do BNDES corresponde a 73% do investimento total, previsto em R$ 30 milhões. Com o empréstimo, a empresa ampliará sua capacidade de geração em 123%, para 59,85 gigawatts-hora (GWh) por ano em 2022.

Desse total, cerca de 50 GWh serão distribuídos para o sistema interligado de energia, uma quantidade que é capaz de atender ao consumo anual de cerca de 25 mil residências.

A utilização dessa quantidade adicional de vinhaça no processo produtivo deverá resultar na redução de emissões de 90,2 toneladas de gases poluentes ao ano.

O aumento da potência para a geração de energia será resultado de investimento na capacidade de tratamento da vinhaça – que crescerá 464%, para 12 milhões de litros por dia. Serão instalados quatro novos biodigestores.

Atualmente, a empresa já processa cerca de 30% da vinhaça gerada pela Cooperativa Agrícola Regional de Produtores de Cana (Coopcana).

Redução de CO²

A utilização dessa quantidade adicional de vinhaça no processo produtivo deverá resultar na redução de emissões de 90,2 toneladas de gases poluentes ao ano.

Esse efeito equivale ao plantio de 631 árvores ou, ainda, à retirada de circulação de 45 veículos a gasolina. Ao deixar de lançar vinhaça ao ambiente, a geração de energia a partir do resíduo tem um resultado negativo em emissões de carbono.