Centro de inovações da Raízen completa dois anos e expande sua área de atuação

Criado pela Raízen, o Pulse, hub de inovação da empresa, chega ao seu segundo ano, consolidando-se, segundo a companhia, como referência em inovação

Celebrando o reconhecimento conquistado com o desenvolvimento de tecnologias agrícolas e agora mirando uma trajetória que vai além do agronegócio, direcionando-se para uma atuação mais ampla com o intuito de fomentar mais soluções inovadoras para outras áreas de atuação da companhia, o hub de inovações, iniciativa da Raízen, completa dois anos.

Leia também: Incêndios em zonas rurais: como combater os focos?

“É incrível todo o aprendizado adquirido nesses dois anos ao experimentar os dois lados do processo de risco que envolve a inovação. Vimos startups encerrarem suas operações, tornarem-se pilotos, serem adquiridas, receberem investimentos, e o mais importante: evoluírem seus produtos de maneira a extrapolar as fronteiras da Raízen e, assim, contribuir com o setor agro no Brasil”, destaca destaca Fabio Mota, vice-presidente de tecnologia da Raízen e responsável pelo Pulse.

Criado pela Raízen, o Pulse, hub de inovação da empresa, chega ao seu segundo ano, consolidando-se, segundo a companhia, como referência em inovação
Criado pela Raízen, o Pulse, hub de inovação da empresa, chega ao seu segundo ano, consolidando-se, segundo a companhia, como referência em inovação

Agora, conta o vice-presidente, o intuído é desbravar novas áreas da companhia, do negócio. Ao longo desses dois anos, ele explica, o Pulse conquistou um papel fundamental no ecossistema de inovação ao permitir uma conexão entre todos os players da cadeia, sejam eles investidores, futuros talentos, formadores de opinião, universidades ou startups que tivessem novas soluções para as questões cotidianas e operacionais.

“O hub permite que projetos sejam realizados e testados com a chancela da Raízen em áreas produtivas da empresa. Um modelo bem-sucedido e que ganha nova força a partir do marco de dois anos de parcerias e realizações. Em 2017, iniciamos o projeto com a certeza que o investimento daria retorno, mesmo sem saber ao certo o montante e o prazo que levaria. Mas, nesse pouco tempo de vida, vimos que as iniciativas já geraram resultados próximo a cinco vezes o valor investido. Por isso, queremos ir além.”

Segundo Mota, o novo capítulo a ser escrito na história do Pulse irá ultrapassar as barreiras do campo, prover oportunidades, e fomentar iniciativas nos mais diversos segmentos da sociedade, criando um ecossistema de inovação aberta que vai do campo ao posto.

De acordo com a companhia, dentro de sua história recente, o Pulse já contabiliza 25 startups residentes, das quais 15 já contam com projetos pilotos sendo testados na própria Raízen. “Além disso, o hub pode se orgulhar por firmar parcerias com grandes players do mercado para desenvolver projetos de inovação, como a CNH Industrial e os parceiros do projeto Agro IoT Lab para conectividade no campo: Vivo e sua aceleradora Wayra, Ericsson e Esalqtec, a incubadora da Esalq”, finaliza.