Compartilhar

Nos últimos dias, circula no setor a informação de que a Biosev foi adquirida pela Raízen Energia. Presidente da Biosev, Juan José Blanchard intitulou como boato essas notícias.

Ao ser questionado sobre, Juan disse que a Biosev está aberta às oportunidades, à fusão ou Joint Ventrure com empresas que apresentem a mesma sinergia. Porém, não passa de boato essa notícia de que a Biosev foi vendida para a Raízen.

O presidente da empresa concedeu uma entrevista e falou sobre o atual cenário da Biosev. Em relação aos bons números, o Presidente da empresa destaca ser resultado de uma virada operacional, que começou pela área agrícola.

Os canaviais da Biosev passaram a receber atenção especial na parte nutricional, a adubação de soqueira é praticamente toda feita com vinhaça, seja por aspersão ou localizada. A adoção da adubação foliar também vem conquistando espaço. Atualmente, são aplicados adubos foliares em cerca de 70% das áreas.

Juan apontou outros fatores responsáveis pelo aumento de produtividade dos canaviais da Biosev: a aquisição de máquinas agrícolas com tecnologia de ponta, o uso de drones, de fungicidas que contribuem para o aumento do teor de açúcar, o controle mais eficiente de pragas e plantas daninhas, a renovação de canaviais com rotação de culturas com crotalária e amendoim, a ampliação da Meiosi (método inter-rotacional ocorrendo simultaneamente) e o uso de novas variedades de cana mais produtivas.

“Na última safra, alcançamos média superior a 80 toneladas de cana por hectare. Mas podemos mais, por isso, criamos o programa cana 100, com o objetivo de obter canaviais com média na casa das 100 toneladas por hectare”, conta.

A área industrial da Biosev também tem passado por transformações, foram realizados investimentos em caldeiras, centrífugas de açúcar, em processos, e instalação de novas colunas de destilação. O resultado já aparece. “Reduzimos nossas perdas e na última safra apresentamos ganhos de eficiência de 1,3%”, diz.

Juan destacou a capacidade de flexibilidade das indústrias da Biosev em resposta à rápida mudança do mix de produção de etanol para açúcar. “O mix de etanol na safra 19/20 atingiu 65,3% em razão da maior rentabilidade do biocombustível frente ao açúcar. Mas o mercado mudou, nesta safra o açúcar está mais atraente, alteramos o mix e nossas unidades se adaptaram rapidamente, direcionando muito mais cana para a produção do açúcar”. Ele não pode informar qual o volume de cana está sendo direcionado para o açúcar.

O Presidente da Biosev observa que mais do que a aquisição de tecnologias, o que realmente pesa nessa virada operacional da Biosev é o comprometimento, o envolvimento de seus profissionais para a condução de boas práticas, o alinhamento da equipe em reduzir custos e aumentar a eficiência ao mesmo passo em que se adapta constantemente aos movimentos do mercado e ao desenvolvimento do setor.

Cadastre-se em nossa newsletter