Compartilhar

Técnicos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estão no campo para fazer o 3º e último levantamento da safra de cana-de-açúcar. A pesquisa de cana ocorre até o 30 de outubro e irá verificar junto às usinas e destilarias o mix de produção, a produção de etanol e açúcar. Dentre as variáveis verificadas estão a área, produtividade, precipitação, doenças/pragas e fatores climáticos.

“Os canaviais apresentam recuperação significativa por causa das chuvas que estão correndo constantemente nas áreas produtoras no estado de São Paulo. Porém, o prejuízo para a safra 20/21 já está estabelecido. Isso se deve ao estresse hídrico e a ausência de chuva ao longo da fase de desenvolvimento do canavial e também as geadas ocorridas, no mês de junho e julho”, afirma a gerente agropecuária Marisete Belloli, da Conab São Paulo.

Previsão do tempo para as áreas de cana

Com o retorno da chuva, a colheita da cana-de-açúcar aproxima-se de seu fim no centro e sul do Brasil. As usinas trabalham com poucas moendas e há necessidade de tempo seco para que a atividade chegue completamente ao fim. O tempo fica ensolarado entre hoje (21) e sexta-feira (22), mas a chuva retornará no fim de semana e prosseguirá com frequência até pelo menos os primeiros dias de novembro.

Produtividade

De uma forma geral, há uma quebra de produtividade e de produção se comparada a safra passada. O levantamento está sendo realizado em todo o Brasil onde há produção de cana-de-açúcar. Somente no estado paulista, os técnicos percorrem 170 usinas em atividade.

Cadastre-se em nossa newsletter