Dedicado a união e aos interesses dos produtores

178449.png

Eduardo Vasconcelos Romão

Idade – 56 anos

Estado Civil – Casado e tem duas filhas

Formação – Engenheiro Agrônomo pela Esalq-USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo) e MBA em Logística Empresarial pela Unesp (Universidade Estadual de São Paulo)

Cargo – Presidente da Orplana (Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil) e Associcana (Associação dos Plantadores de Cana da Região de Jaú)

Hobbies – Corrida e natação

Filosofia de vida – “Se a vida nos deu oportunidades devemos nos empenhar pelo próximo. Nunca faço nada para mim, sempre penso no próximo.”

“Se a vida nos dá oportunidades, devemos nos empenhar pelo próximo. Nunca faço nada para mim, sempre penso no próximo”. Essa é a filosofia de vida de Eduardo Vasconcelos Romão, um produtor de cana que decidiu dedicar-se a liderança e a luta dos interesses da sua classe. Presidente reeleito da Associcana (Associação dos Plantadores de Cana da Região de Jaú), na qual atua desde 2011, Romão assumiu, no início de 2016, a presidência da Orplana (Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil), entidade que hoje representa quase 16 mil produtores, responsáveis pela produção de 70 milhões de t de cana de toda região Centro-Sul. Seu desafio a partir de agora é “fortalecer a representatividade da Orplana frente não só aos fornecedores, mas também as demais entidades do agronegócio e aos agentes públicos.”

Filho de produtores de cana, Romão conta que desde muito jovem se preparou para trabalhar com os pais. Estudou Engenharia Agronômica na Esalq-USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo) e logo foi ajudar a família na administração da fazenda. Entre 2001 e 2008, surgiu o convite para que ele assumisse a secretaria de Agricultura e Abastecimento da cidade de Jaú, SP. Foi nesta época que o executivo começou a ter mais contato com os pequenos produtores e com toda a cadeia de produção e abastecimento do município. “Em 2011 fui eleito presidente da Associcana, que representa cerca de 1.211 produtores, responsáveis por 3,5 milhões de t de cana. Iniciava um novo e grande desafio.”

NOVA LIDERANÇA PARA OS PRODUTORES

Ao final do seu segundo mandato, Romão afirma que liderar a Associcana tem sido um aprendizado diário. A entidade é a 10ª regional mais importante das 40 existentes no Estado de São Paulo e uma das quatro associações existentes na região de Jaú, onde estão instaladas 11 usinas.

“Desde que assumi a Associcana, me deparei com a enorme mudança na forma de produção com o fim queima da palha da cana e a mecanização plena dos processos, frente o aprofundamento da crise econômica que afetou em cheio as unidades industriais. A minha principal meta então foi criar condições para que os pequenos e médios produtores conseguissem permanecer no negócio. Durante estes anos, procurei inserir os nossos associados na realidade da demanda mundial, que deverá exigir aumento de 40% na produção de alimentos, fibra e energia, sendo que a sustentabilidade deverá ser o foco principal para se chegar neste patamar. Mas é um trabalho diário cheio desafios”, revela.

A indicação para participar do processo eletivo da Orplana em 2016 e a vitória foram recebidos com muito orgulho. Romão diz ser uma enorme satisfação ver o seu trabalho e empenho sendo reconhecidos por associações amigas. “A conciliação das duas entidades tem sido um grande desafio, mas tem dado certo. Pela Associcana nossos diretores e equipes ficam sempre inteirados dos projetos e se empenham em coloca-los em prática da melhor forma. Pela Orplana também temos uma equipe extremamente qualificada e existe o empenho de nossos conselheiros para alcançarmos todos os nossos objetivos. Assim, todos juntos, conseguiremos mostrar a força que uma cooperativa pode ter.”

O foco da Orplana a partir de agora, segundo ele, é fortalecer a sua representatividade não só com os próprios fornecedores, mas também com as demais entidades do agronegócio e com os entes públicos, mantendo-a mais unida e coesa para atingir objetivos comuns. “Espero conseguir manter a entidade forte e articulada até mesmo com outras cadeias produtivas, para ocuparmos espaço na sociedade e assumir o lugar que o agro merece. Precisamos ainda mostrar para a população urbana e política a nossa força e importância na geração de emprego e renda não só no campo, mas também nas cidades”, destaca.

Outra meta é se aproximar mais das associações e seus integrantes, ou seja, do produtor em si. “Depois de todas as mudanças que ocorreram diante da expansão da mecanização e a cobrança cada vez maior pela produção sustentável, é essencial que tenhamos um plano para mudar os procedimentos adotados até então, e que, em muitos casos, foram passados de pai para filho.”

Ainda de acordo com Romão, 2016 marca um novo momento para a Orplana. “Nos modernizamos a fim de permanecer fortes como associação, tanto na sua voz política quanto na voz empresarial. Com um planejamento estratégico feito a partir de demandas diretas dos produtores e levantamentos feitos por consultores especialistas, foi possível traçar novos rumos. Desenvolvemos 19 projetos de melhoria que deverão ser implantados pela Orplana até 2025. ”

TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO

Tecnologia e comunicação são os grandes desafios para o setor, segundo o executivo. Para Romão é preciso que os produtores mudem o seu patamar de produção com a adoção de novas tecnologias. “Mas para isto é preciso leva-las aos produtores de maneira aplicável, fazendo a extensão rural adequadamente. A cana-de-açúcar, como toda commodity, precisa aprimorar seus custos e as tecnologias são ferramentas ideais para chegar lá, afinal, o mercado está cada vez mais exigente com os produtores. Por outro lado, estar atento a todo processo de comunicação externa com a sociedade formadora de opinião e de políticas públicas que afetam o setor também é essencial para que consigamos assumir o nosso papel na sociedade e promovermos uma mudança de comportamento frente ao nosso negócio, que deve sempre estar ao lado das necessidades dessa sociedade.”

Depois de três anos de forte crise, período cujo os custos de produção ficaram inviáveis para os produtores, a expectativa é que a próxima safra (2017/18) seja promissora em relação aos preços. De acordo com Romão, os fundamentos de mercado sinalizam resultados parciais positivos devido ao câmbio e ao déficit da produção mundial de açúcar. “A quebra de produção foi um problema para todos nesta safra e será para a próxima também, o que faz com que as próximas duas ou três safras sejam de preços ainda mais interessantes.”

DSCF0161.JPG
Romão assumiu em março de 2016 a presidência da Orplana

VIDA DE CORREDOR

Depois que passou a administrar a Orplana, Romão diz que dedica grande parte do seu tempo aos interesses dos produtores de cana, seja via Associcana, seja via Orplana. A outra parte do tempo é dedicada ao condomínio de cana que administra. “Procuro atuar em detalhes estratégicos, estimulando sempre o empenho da equipe. As decisões são sempre baseadas no conhecimento adquirido e partilhado com as demais Associações, através de reuniões técnicas e sociais.”

Ele é uma pessoa bastante família. Diz que é com a esposa Magaly, que é pesquisadora na área de mobilidade urbana, e com suas filhas, Fernanda, 25, e Isabela, 22, que passa grande parte do tempo e seus momentos de lazer e descanso.

Até mesmo nos esportes a família o acompanha. Romão é apaixonado por corrida e natação. Já foram quatro São Silvestres ao lado da filha Isabella. O executivo pratica diariamente corridas e eventualmente concorre a provas de 5 km na região de Jaú. Em natação já participou de várias provas abertas como a travessia em Avaré, SP, e a prova de 1km na praia de Ipanema, RJ. Ele treina com a equipe do Clube de Jaú. “Frequento provas amadoras em grupo e a satisfação coletiva me contagia! Sou muito família, então essa relação me renova sempre.”

Ouvir o próximo, suas necessidades e tentar sempre ajudá-lo. Esse é o maior aprendizado que Romão leva em sua conduta profissional e pessoal. “Acredito muito que é preciso sempre melhorar e aprimorar o relacionamento com as pessoas ao nosso redor. É isso que nos levará a um novo patamar na vida!”