Conecte-se conosco
 

Últimas Notícias

Exportações do agronegócio crescem 13,5% com relação a mesmo período de 2021

Publicado

em

A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgou os dados das exportações do agronegócio em maio, que somaram USD 15,1 bilhões,
valor 1,7% maior em comparação ao mês anterior e 13,5% superior a maio/2021.

No complexo sucroenergético, no entanto, se comparado maio/2022 contra maio/2021, as quantidades embarcadas de açúcar refinado e bruto diminuíram em 56,7% e 34,5%, respectivamente. Em contrapartida, segundo dados compilados pelo Itaú BBA, o etanol registrou um volume 14,7% maior no mesmo comparativo. Já os preços em dólares foram maiores para os três principais produtos em relação à maio/2021, 37,7% para o etanol, 19,6% para o açúcar refinado e 16,6% para o açúcar bruto.

Quanto às vendas externas de milho, grande destaque novamente para o volume de 1,2 milhão de toneladas exportadas em maio/2022. O valor é 8499,3% maior frente ao embarcado em maio/2021. O expressivo aumento das vendas externas do cereal pode ser decorrente
da queda dos embarques ucranianos por conta dos conflitos com a Rússia, já que a Ucrânia é um grande exportador de milho. Sobre os preços em dólares, o produto registrou aumento de 43,4% frente à cotação de maio/2021.

No complexo soja, o volume exportado de grãos alcançou 10,6 milhões de toneladas – diminuição de 29% frente a maio/2021. O óleo de
soja registrou 262 mil toneladas em vendas externas, volume 44,6% maior contra o mesmo mês do ano passado. Para o farelo de soja também foi registrado aumento no volume embarcado, 14,8% versus maio/2021.

Em relação aos preços, as toneladas dos três principais produtos do complexo apresentaram aumentos, 44,6%, 37,7% e 31,6% para o óleo, grão e farelo, respectivamente, frente a maio/2021. No setor de proteínas animais, destaca-se mais um bom desempenho mensal das vendas externas de carne bovina.

Apesar da queda do volume embarcado frente ao mês anterior, as 153 mil toneladas exportadas do produto em maio/2022 são 20,8% maiores que a quantidade registrada em maio/2021. Para a carne de frango o crescimento foi de 4,4% em volume contra o quinto mês de 2021, enquanto na carne suína o desempenho foi diferente, pois o volume embarcado em maio/2022 recuou 12,7% em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Quanto aos preços em dólares para as proteínas animais, os valores de carne de frango e bovina foram 33,5% e 30,8% maiores no
comparativo do quinto mês desse ano versus maio/2021. Em contrapartida, no mesmo período, a carne suína apresentou queda de
8,2% na tonelada cotada.

Em relação ao algodão, o total embarcado no quinto mês do ano foi 26,7% menor em comparação com o mesmo mês de 2021, porém os
preços em dólares cresceram 33,2% no mesmo período.

Continue Reading