Maurílio Biagi Filho é homenageado por Proálcool

Homenagem a Biagi Filho foi feita em São Paulo durante Conferência Internacional com o tema: Veículos movidos a etanol combustível: 40 anos de impactos positivos

O empresário Maurílio Biagi Filho, presidente do Conselho Administrativo do Grupo Maubisa, foi um dos homenageados na 19ª. Conferência Internacional da Datagro sobre Açúcar e Etanol, que teve início nesta segunda-feira, dia 28 de outubro, no Grand Hyatt, em São Paulo.

Esta edição do evento celebrou as quatro décadas da assinatura pelo Governo Federal e a Associação Nacional dos Fabricantes dos Veículos Automotores (Anfavea) do protocolo que deu início à produção de automóveis movidos a etanol e teve como tema: Veículos movidos a etanol combustível: 40 anos de impactos positivos.

Maurílio foi homenageado na categoria impulsionadores do Proálcool. Como estava em viagem ao exterior, marcada anteriormente ao convite para o evento, o seu filho primogênito, Rodrigo Amorim Biagi, CEO do Grupo Maubisa, representou-o na ocasião.

Ele recebeu a placa comemorativa das mãos do prefeito municipal de Ribeirão Preto, Antonio Duarte Nogueira, que compôs a mesa oficial, ao lado de diversas autoridades, entre elas o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, o ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o ex-ministro João Camillo Penna, um dos signatários do protocolo.

Antes de chamar Rodrigo ao palco, o anfitrião Plínio Nastari, presidente da Datagro e representante da Sociedade Civil do Conselho Nacional de Política Energética, fez questão de enfatizar, alguns dos muitos motivos que levaram Maurílio Biagi Filho a ser indicado para receber a homenagem.

LEIA TAMBÉM:

Refinaria registra prejuízo devido aos baixos preços do açúcar

Etanol: hidratado sobe e anidro valoriza na semana

“Sr. Maurílio, na crise do abastecimento no final da década de 80, tinha álcool nas suas usinas e, para mostrar que esta crise não estava diretamente relacionada à falta de produto, tomou a iniciativa de distribuir de graça o etanol. Foi ele também que comprou os primeiros 50 Fiats 147, movidos a álcool, diretamente do Sr. Silvano Valentini, presidente da Fiat, e também os primeiros 500 tratores e caminhões Dodge movidos exclusivamente a etanol para as usinas Santa Elisa e Vale do Rosário”, afirmou Plínio.

Rodrigo destacou a incansável luta de sua família pelo Proálcool, que teve início, anos antes dele ser efetivamente iniciado. “Era bem criança, meu avô ainda vivo, quando ele e meu pai, juntamente com Lamartine Navarro e Orlando Ometto entregaram, em 1974, ao então presidente Ernesto Geisel, um estudo chamado Fotossíntese como fonte energética, que deu origem ao Proálcool, já no ano seguinte”, lembra ele.

Ao agradecer a homenagem, Rodrigo enfatizou o grande significado que este momento tem para sua família, principalmente para o seu pai, que dedicou, e ainda dedica, sua vida a esta causa.

“Meu pai continua a ser um entusiasta e defensor desta bandeira. Ele enxerga o etanol combustível como o grande diferencial capaz de colocar o Brasil em destaque na produção mundial de energias limpas e renováveis. Ele sabe que essa tecnologia, desenvolvida de forma pioneira em nosso País, já é reconhecida globalmente, mas também acredita que podemos explorar muito mais este nosso potencial”, conclui o CEO.