Compartilhar

As estimativas divulgadas até o momento para a safra 2021/22, apontam que a temporada deverá fechar em 530 milhões de t de cana. No entanto, a RPA Consultoria estima que a produção deverá ser menor, atingindo 510 milhões de t.

“Este ano a situação está tão complicada que fizemos um acompanhamento nos últimos três meses e chegamos a uma estimativa contundente”, afirma Ricardo Pinto, CEO da RPA Consultoria.

Os modelos de simulação da consultoria apontam que a produtividade agrícola do Centro-Sul poderá fechar em 67 t/ha ou seja,  seria uma quebra de 14% em relação a safra passada.

“Além disso acreditamos que a área de colheita deva se reduzir em 2,4%. Esses dois números definem uma estimativa da RPA de apenas 510 milhões de t de cana, ou seja, só para se ter uma ideia, estamos regredindo 9 safras no Centro-sul”, afirma.

Segundo ele, as 510 milhões de t seriam uma safra apenas superior a temporada 2011/2012, quando foram produzidas 493 milhões de t.

Safra 2022/23

O primeiro cenário que a RPA está traçando é que, se as chuvas voltarem próximas ao normal daqui para frente,  considerando o cenário atual, o Centro-Sul deverá recuperar  a produtividade das duas últimas safras, na ordem de 74 t/ha.

“Isso seria um ganho de 10% em relação a safra atual. É bastante significativo, mas é uma recuperação se as chuvas se mantiverem dentro da normalidade”, destaca.

No entanto, a consultoria está mais pessimista com relação a área de colheita. Segundo o consultor da RPA, continua existindo uma redução na área de cana, da ordem de 2% por conta, principalmente, da competição por grãos.

“Para a safra 2022/23, um primeiro número de moagem seria de 546 milhões de t, um crescimento de 7% em relação a nossa estimativa de safra para 2021/22. No entanto, ainda estaríamos próximos da safra 2012/13, com somente com 2,5% a mais de cana colhida”, conclui.

Cadastre-se em nossa newsletter