Usina ganha maior troca térmica ao adotar evaporadores a placa

0
406

Considerada como uma das empresas de maior destaque no setor sucroenergético, a Bioenergética Aroeira está instalada estrategicamente no município de Tupaciguara, a 50 km de Uberlândia, na área definida pelo Zoneamento Ecológico Econômico do governo de Minas Gerais. A empresa foi projetada para produzir etanol de forma sustentável, respeitando as normas de segurança e preservação ambiental, gerando valores para seus colaboradores, investidores e sociedade em geral. Uma das formas para atingir esse objetivo é a utilização de tecnologias inovadoras e eficientes.

Em 2016, a Bioenergética Aroeira e a Sondex, agora integrada à Danfoss, começaram a primeira parte da parceria, com o fornecimento dos trocadores de calor da linha Free Flow para a nova planta de produção de açúcar. Em 2017, iniciaram a segunda parte da parceria com o desenvolvimento do projeto de expansão da usina. Nesta ocasião, a usina adotou sistema de pré-evaporação da solução de açúcar, também conhecido como concentração de sacarose de caldo clarificado, baseado na utilização de trocadores de calor da linha Free Flow Sondex® da Danfoss.

Essa iniciativa representou uma conversão tecnológica no setor sucroalcooleiro, tendo em vista um mercado majoritariamente ocupado pelos modelos reboilers tipo tubular. “Tivemos a grande oportunidade de apresentar nossa solução para a planta de pré-evaporação, uma expansão importante de um grande investimento que a Aroeira se dispôs a fazer”, comenta Carlos Funes, gerente geral da linha Sondex® by Danfoss.

José Rubens Bevilacqua, diretor industrial da Bioenergética Aroeira, explica que basicamente toda a indústria açucareira usava somente os reboilers tubulares, apesar de os pré-evaporadores a placa já constarem nos manuais do segmento. “Por que não usaram? Porque era caro, geralmente eram importados e esse tipo de produto você vai desenvolvendo de acordo com sua necessidade.”

Para a Bioenergética Aroeira, a Danfoss propôs quatro evaporadores, de 17 toneladas cada um, com 8.4 metros de barramento cada. “Estamos falando de equipamentos que hoje são considerados uns dos maiores já fabricados na América Latina”, acrescenta Funes. Com a solução da Danfoss, a usina ganhou maior troca térmica, ao mesmo tempo em que utiliza menos vapor para evaporar a solução de açúcar, se comparado com os evaporadores tubulares. Além disso, os evaporadores a placas da linha Sondex® têm uma durabilidade muito maior e são mais fáceis de limpar. Com isso, a usina ganha tempo, segurança e eficiência.

O diretor industrial da Bioenergética Aroeira acrescenta que outro diferencial no projeto foi o suporte técnico da Danfoss. “A visão que temos para o mercado sucroalcooleiro como outros tantos mercados que atendemos é ter uma proximidade com o cliente. Precisamos ter em mente que o cliente tem demandas específicas. Deste modo, trabalhamos de forma customizada para atender a necessidade de cada cliente”, destaca Funes.