Compartilhar

Mesmo sem corte nos preços da Petrobras (PETR4) nas refinarias, desde o último reajuste de outubro, a gasolina obteve novo recuo nas bombas na semana, de 0,50%. O etanol hidratado também — e maior, de 1,85% — no mesmo intervalo.

Mesmo assim, o biocombustível se mantém sem competitividade frente ao concorrente, seguindo o levantamento de preços nos postos da ANP. A paridade é de 77% no Brasil, sendo que em São Paulo a média e de 74%, se se considerar que a base é de 70% pelo menor poder calórico.

O resultado, na cadeia, foi mais uma semana de promoção nas indústrias, em menos 4,02%, seguindo o padrão de redução desde novembro.

De acordo com o Cepea, o litro ficou, de segunda a sexta, em R$ 3,3202, livre de frete.

As usinas e destilarias exclusivas de etanol ficaram bastante folgadas em estoques, descartando as preocupações que existiam antes com a oferta durante a entressafra mais longa (praticamente 5 meses), desde quando a safra caminhava para seu finalmente antecipado até fim de novembro.

Cadastre-se em nossa newsletter