Compartilhar

Os varejistas de combustíveis no Brasil pediram ao governo para reduzir a quantidade de etanol necessária para ser misturado à gasolina. Eles argumentam que uma produção menor na temporada atual reduziu a oferta do biocombustível e aumentou os preços. A Fe combustiveis, associação que representa cerca de 40 mil postos de gasolina no Brasil, pediu que a mistura de etanol fosse reduzida de 27% atualmente para 18%, dizendo que a menor safra de cana-de-açúcar este ano devido ao tempo mais seco do que o normal reduziu a produção de etanol.

Cerca de 90% do etanol produzido no Brasil é feito de cana-de-açúcar, sendo cerca de 10% à base de milho. A safra de cana-sul do país começou devagar este ano.
A Fecombustiveis disse que recebeu relatos de empresas associadas dizendo que as distribuidoras de combustíveis estavam tendo problemas para adquirir etanol suficiente das usinas para os requisitos obrigatórios de mistura, causando atrasos na distribuição, informou a Reuters.

O Brasil cortou no mês passado a quantidade de biodiesel que mistura em diesel de 13% para 10% devido a suprimentos apertados e preços altos. Analistas esperam uma oferta apertada de etanol este ano, com as usinas priorizando a produção de açúcar. Os preços do etanol estão pairando em torno das máximas de todos os tempos, segundo o Cepea.

O Ministério da Economia do Brasil disse que está acompanhando a situação de abastecimento e não viu a necessidade de cortar a mistura de etanol. Um porta-voz disse: “Com a colheita (cana) apenas começando, é duvidoso que uma mudança seja feita agora.”

Cadastre-se em nossa newsletter