Compartilhar

A Usina São Fernando, que vem passado por um processo de recuperação judicial e falência, desde 2013, voltará a operar e ainda se tornará uma produtora de etanol de milho. Isso será possível com a compra da unidade pelo Grupo Millenium, que se confirmou ontem, 17.

Em decisão emitida ontem pelo juiz de direito da 5ª Vara Cível de Dourados, MS, César Lima, intimou a Millenium Holding a cumprir o valor proposto no leilão, de R$ 351,65 milhões que deverão ser pagos à vista em até 180 dias após a decisão judicial.

De acordo com o Banco do Brasil, um dos credores da Usina São Fernando, a proposta Millenium foi considerada a mais interessante. A administração da usina passará para ela assim que o pagamento for feito.

A Millenium deverá efetuar o depósito judicial do valor integral ou apresentar fiança bancária para o pagamento em seis meses até o dia 31 de maio. Em entrevista de Eduardo de Lima, CEO da Millenium para a RPAnews, ele afirmou que a companhia, assim que fizer o pagamento, vai iniciar um projeto para a implementação de uma unidade de produção de etanol de milho dentro da São Fernando, utilizando uma das caldeiras que está parada.

“A ideia é recompor o quadro de funcionários, recontratar pessoas que foram dispensadas. No pico de obra teremos 1500 funcionários só na obra. Vamos tratar, assim que a Millenium pagar, começaremos o projeto para desenvolver o projeto de etanol de milho dentro da usina de etanol de cana”, disse à RPAnews.

Ainda de acordo com o CEO da Millenium, também será feito um trabalho de recomposição dos canaviais e de recomposição de parcerias com os parceiros da usina que deixaram de ser fornecedores por algum motivo.

“Queremos fazer um trabalho para recompor as áreas de cana e trazer os parceiros que estão longe, e também fazer um trabalho de convencimento de parceiros”, disse Lima.

A expectativa é que a Usina São Fernando esteja funcionando em plena capacidade de moagem dentro de cinco a sete anos. “Acreditamos que demoraremos 5 a 7 anos para chegarmos aos 4,5 milhões de t, mas vamos fazer com todo gosto e temos uma equipe forte e muito preparada”, afirmou o CEO da Millenium à RPAnews.

O projeto da unidade de etanol de milho, de acordo com o CEO, não deixará nada a desejar para as unidades de etanol de milho norte-americanas.

“Nosso projeto será de alta eficiência. Não deixará na a dever as usinas de etanol americanas. Temos um plano de transformar essa unidade em uma total flex. Cana na safra e milho o ano inteiro. Serão 12 meses de etanol de milho de alta eficiência. Vamos produzir também DDGS, gás carbônico grau alimentício, energia elétrica, açúcar e etanol de cana e teremos biodigestão a partir da vinhaça”, revelou o CEO da Millenium para a RPAnews.

Por Natália Cherubin

Cadastre-se em nossa newsletter