Compartilhar

Os contratos futuros do açúcar iniciaram a semana em alta na ICE, de Nova York, esboçando uma reação após sucessivas quedas registradas no fina da semana passada, mesmo com perspectivas de um incremento nas exportações da Índia, devido ao fraco consumo do adoçante, segundo analistas ouvidos pela Reuters.

Ontem o açúcar bruto negociado em NY, no vencimento julho/21, foi comercializado em 16,99 centavos de dólar por libra-peso, pequena variação positiva de 3 pontos no comparativo com os preços de sexta-feira. Já o lote para outubro/21 subiu 6 pontos, com negócios em 17,12 cts/lb. As demais telas subiram entre 10 e 14 pontos.

“A intensificação atual da pandemia (na Índia) poderia impactar a demanda nacional por açúcar”, afirmou a consultoria Green Pool em nota enviada à Reuters, acrescentando que o consumo na Índia deve recuar pelo segundo ano consecutivo na temporada de 2020/21. “Uma demanda doméstica menor deve aumentar os estoques indianos e pode levar a um aumento de exportação da commodity no final do ano”, disse à Agência Internacional de Notícias.

“Se os preços globais estiverem acima de 18 centavos de dólar no final do ano, podemos esperar uma onda de exportações da Índia sem subsídios; e se as cotações estiverem abaixo deste nível, podemos ter quase certeza de que o governo indiano estará feliz em garantir um novo subsídio de exportação alinhado com os preços mundiais”, afirmou a corretora Marex.

Açúcar branco

Em Londres o açúcar branco também fechou em alta em praticamente todos os lotes, a única exceção foi o contrato agosto/21, que caiu 60 cents de dólar, negociado em US$ 453,00 a tonelada. As demais telas subiram entre 30 cents e 3,50 dólares.

Açúcar no Brasil

No mercado doméstico o açúcar cristal também iniciou a semana em alta. A saca de 50 quilos foi negociada nesta segunda-feira em R$ 115,71, valorização de 0,56% no comparativo com os preços de sexta-feira, pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP.

Cadastre-se em nossa newsletter