Compartilhar

Com a safra 2021/22 em andamento no Norte e Nordeste, as unidades produtoras da região já alcançaram uma moagem de 33,12 milhões de t de cana-de-açúcar até o dia 30 de novembro. Os dados são da Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio).

Os indicadores da NovaBio projetam que os estados do Norte e o Nordeste encerrarão a moagem da safra atual com um volume total de 54,22 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, 4,2% a mais do que no ciclo 2020/21, quando produziram 52 milhões de toneladas.

No Nordeste, para o final da moagem, a entidade estima um crescimento de 4,3%, com 46,91 milhões de toneladas contra 44,96 milhões processados na safra anterior. No Norte, o aumento deverá ser de 3,1%, alcançando 7,3 milhões de toneladas ante as 7 milhões de toneladas produzidas na safra passada.

Ainda segundo a NovaBio, as unidades da região produziram 1,47 bilhão de litros de etanol de um total de 2,3 bilhões de litros – volume estimado para o ciclo 2021/22 –, sendo a produção do anidro superior em 10,4%.

Os dados da NovaBio mostram que a quantidade de etanol produzida deve ser superior à verificada no mesmo período do ciclo passado. De acordo com Renato Cunha, presidente-executivo da NovaBio, a fabricação total de etanol vem apresentando tendência de crescimento.

Até a segunda quinzena de novembro, a entidade verificou um aumento de 3,5% comparado ao mesmo período da safra anterior, com 1,47 bilhão de litros efetivamente produzidos.

“Este volume representa 66,53% dos 2,3 bilhões de litros estimados e projetados até o final da safra”, explica o executivo, que também preside o Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Pernambuco (Sindaçúcar/PE).

A fabricação de hidratado, assim como a de açúcar, deve apresentar patamares parecidos com os da safra passada. Além disso, a NovaBio destaca que a produção do biocombustível deverá encerrar o ciclo 2021/22 com uma discreta redução de volume, com 1,16 bilhão de litros contra 1,18 bilhão de litros produzidos na safra 2020/21.

Açúcar e estoques de etanol

Em relação ao açúcar, a produção deverá se recuperar até o final do ciclo atual. Estima-se que até abril de 2022, as unidades do Nordeste produzirão um volume 7,6% superior ao observado na moagem passada. “A expectativa é entregar aos mercados interno e externo, cerca de 3,3 milhões de toneladas do produto. No ano passado, esse número foi de 3 milhões”, informa Cunha.

Até a segunda quinzena de novembro deste ano, foram fabricadas 1,58 milhão de toneladas de açúcar, ante 1,62 milhão de toneladas produzidas em comparação ao mesmo período de 2020. De acordo com Cunha, a produção do produto, até agora, já atingiu 47% da expectativa para o ciclo de moagem atual.

Os estoques físicos oriundos da produção de etanol anidro e hidratado estão em alta. Para o anidro, aumentou 49% até 30 de novembro, com 280 milhões de litros ante 187,9 milhões de litros registrados na segunda quinzena do mesmo mês em 2020. Para o hidratado, o crescimento foi de 4,37%, totalizando 174,5 milhões litros no comparativo com os 167,2 milhões armazenados no ciclo 2020/21.

Cadastre-se em nossa newsletter