Compartilhar

Os contratos futuros do açúcar fecharam mistos ontem (22) nas bolsas internacionais. Em Nova York, na ICE, a commodity foi comercializada, no vencimento maio/21, em 16,92 centavos de dólar por libra-peso, pequena variação negativa de 2 pontos no comparativo com os preços da sessão anterior. Já a tela para julho/21 caiu 1 ponto, negociada em 16,88 cts/lb. Os demais contratos subiram entre 4 e 6 pontos.

Segundo analistas ouvidos pela Reuters, operadores afirmaram que o açúcar segue com bom suporte, com fundos ampliando suas posições compradas e perspectivas de safras reduzidas no Brasil e na União Europeia.

“Esperamos agora um superávit global de açúcar muito menor em 2021/22, principalmente por causa da redução recente nas estimativas para a safra do Brasil”, disse o Citi em nota divulgada ontem pela Reuters.

O Itaú BBA emitiu um relatório que aponta uma quebra de safra de até 7% na área colhida de cana-de-açúcar na região Centro-Sul do Brasil, considerando as condições climáticas desfavoráveis.

Açúcar branco

Em Londres a quinta-feira foi marcada também por baixa nos dois primeiros lotes e alta nas demais telas. O contrato para agosto/21 foi comercializado em US$ 462,40 a tonelada, 90 cents de dólar a menos no comparativo com a véspera. A tela outubro/21 recuou 10 cents de dólar. Já os contratos com vencimento a partir de dezembro/21, subiram entre 1,20 e 1,70 dólar.

Açúcar cristal

No mercado doméstico o açúcar se manteve valorizado pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. Ontem, a saca de 50 quilos do tipo cristal foi negociada em R$ 110,60, valorização de 0,50% no comparativo com os preços do dia anterior.

Cadastre-se em nossa newsletter