Açúcar: contratos futuros fecham em alta

Apesar dos preços do petróleo terem fechado no valor mais baixo dos últimos 18 anos na sexta (17), os preços do açúcar fecharam em alta.

Em Nova York, por exemplo, o lote para maio/20 subiu 21 pontos e foi firmado em 10.37 centavos de dólar por libra-peso.

O vencimento para julho/20 fechou em 10.53 centavos de dólar por libra-peso, alta de 20 pontos. Os demais vencimentos subiram entre 8 e 20 pontos.

Mesmo com esta valorização diária, a commodity fechou em “queda de 10 pontos em relação à semana anterior, ou aproximadamente US$ 2.20 por tonelada.

Em reais, o açúcar fechou com R$ 20 por tonelada melhor do que a semana passada. Nada muito substancial”, explica Arnaldo Corrêa, diretor da Archer Consulting.

“Além do desmoronamento nos preços do petróleo, ampliado pela pandemia do coronavirus, o mercado terá que se defrontar com o consumo de combustível despencando nos Estados Unidos e a produção de etanol de milho encolhendo no exato momento em que as cotações do contrato de milho em Chicago atingem o preço mais baixo dos últimos treze anos”, acrescenta o consultor..

Em Londres os contratos para maio/20 foram comercializados em US$ 340,00 a tonelada, alta de 2,20 dólares. O lote para agosto/20 fechou em US$ 330,00 a tonelada, alta de 4,60 dólares. Os demais contratos valorizaram entre 1,50 e 3,80 dólares.

No Brasil 

Na última sexta-feira (17) a saca de 50 kg de açúcar cristal fechou em R$ 77,95, pelo indicador Cepea/Esalq, da USP, permanecendo estável quando comparado ao indicador da véspera. Mas. Desse modo. Mas. Desse modo.