Agrovale nega contratação de cortadores de cana vindos do Ceará

A Agrovale, usina localizada em Juazeiro,BA, esclarece que um áudio que estaria circulando na internet desde a semana passada, sobre a contratação de cortadores de cana vindos do Ceará é falsa.

Em nota, a Agrovale afirmou que em atendimento às orientações do Ministério da Saúde, que mantém o funcionamento de acordo com o Decreto Federal 10.282 de 20 de março de 2020 que regulamenta a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020 e define os serviços públicos e atividades essenciais, está tomando todos os cuidados necessários para a proteção e o bem-estar dos trabalhadores, com a adoção de uma série de medidas preventivas no combate à pandemia do Coronavírus (Covid-19).

Em relação ao áudio que está sendo veiculado nas redes sociais, a Agrovale comunica que a informação de que a contratação de 600 a 800 cortadores de cana vindos do Ceará é falsa.

“Para essa safra 2020, a Agrovale já reduziu em cerca de 15% a quantidade de toneladas a serem colhidas para diminuir a necessidade dessa mão de obra vinda de outras localidades, priorizando a mão de obra regional. A crescente otimização da colheita de cana mecanizada também impactará no processo de redução da mão de obra rural”, afirmou a companhia.

A Agrovale, além dos procedimentos médicos como os exames admissionais previstos em Lei, afirma que também vem adotando ainda o monitoramento constante através da aferição da temperatura corporal e anamnese de saúde dos empregados.

Cuidados com o Coronavírus

A Agrovale, além dos procedimentos médicos como os exames admissionais previstos em Lei, afirma que também vem adotando ainda o monitoramento constante através da aferição da temperatura corporal e anamnese de saúde dos empregados.

Uma das primeiras medidas da companhia foi o afastamento das atividades dos empregados que se enquadram no grupo de risco. Pessoas acima de 60 anos de idade, gestantes, hipertensos, diabéticos, portadores de doenças crônicas, de doenças imunodepressivas e outros com a saúde debilitada.

Orientações aos colaboradores

Para evitar aglomerações, a Agrovale afirmou que está procedendo uma distribuição quantitativa de trabalhadores levando em consideração o fluxo em áreas comuns como o restaurante e vestiários.

Os horários de saída e de entrada foram adaptados, bem como o acesso ao registro de ponto e ao vestiário, para que o fluxo aconteça de forma espaçada e tranquila, obedecendo a marcação dos pisos a fim de que se mantenha a necessária distância entre as pessoas.

Desde o início da pandemia, a Agrovale afirmou que está efetuando, de forma rigorosa, a higienização de corrimões, maçanetas, móveis, utensílios, ônibus e em locais diversos a fim de se bloquear possíveis contágios.

Na saída do vestiário para o ônibus os trabalhadores estão recebendo jatos de álcool 70% borrifados nas mãos, tanto na chegada como na saída da empresa. Tendo em vista a mudança cultural, a empresa vem promovendo palestras educativas e de conscientização, objetivando a colaboração de todos.

 

Vacinação Trivalente

Fazendo parte ainda do conjunto de cuidados com a saúde, a Agrovale também vai realizar uma campanha para vacinação de 5 mil trabalhadores com a vacina Trivalente.  Contendo a nova composição de CEPA (pandêmica (H1NI) e sazonal) atualizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para o ano de 2020, a vacina Trivalente  será distribuída gratuitamente entre os colaboradores no começo do próximo mês de abril.