Ataque de pragas deve fazer com que produção de açúcar diminua na UE

A União Europeia caminha para uma queda significativa na produção de açúcar este ano, depois de os campos terem sido devastados por pragas e clima seco, tornando o bloco um importador líquido e pressionando uma frágil indústria de açúcar, disseram analistas.

Leia também: associação recupera quase R$ 3 milhões em tributos para produtores

A produção de açúcar na UE e no Reino Unido deve cair para 16,1 milhões de toneladas, ante cerca de 17 milhões em 2019, principalmente devido à menor produção de beterraba açucareira no maior produtor, a França, estima o grupo de produtores franceses CGB.

Ataque de pragas deve fazer com que produção de açúcar diminua na UE
Ataque de pragas deve fazer com que produção de açúcar diminua na UE

A produtividade na França deve cair 15% em comparação com a média de cinco anos, principalmente porque a icterícia transmitida por pulgões devastou campos em todo o país, disse o analista da CGB Timothe Masson.

Junto com uma redução na área de cultivo, isso significa que a produção de beterraba, também usada para fazer etanol, deve cair para 31,7 milhões de toneladas, ante 38,6 milhões em 2019, reduzindo a produção francesa de açúcar refinado de 4,9 milhões para 4,1 milhões de toneladas. “Você teria que voltar a 2003 para ver produtividades tão fracas”, disse Masson.

A produção mais baixa neste ano poderá gerar uma perda para a indústria açucareira francesa de 170 milhões de euros (202 milhões de dólares), segundo ele.

A queda de produtividade no Reino Unido deve ser similar, embora parcialmente compensada por um aumento de 5% na área, disse Arthur Marshall, analista comercial sênior da NFU Sugar.

Na Alemanha, a produção de açúcar refinado de beterrabas na temporada 2020/21 recém-iniciada está projetado em 4,12 milhões de toneladas, abaixo das 4,23 milhões de toneladas da temporada anterior, segundo a associação do setor WVZ em sua primeira projeção para a safra.