Etanol: hidratado e anidro registram alta

No período de 16 a 20 de setembro, o etanol hidratado se valorizou, pelos índices do Cepea/Esalq, da USP, em São Paulo.

Na última semana, o litro do biocombustível foi cotado em R$ 1,7219. Isso representa uma alta de 1,64% quando comparado aos preços praticados na semana anterior (9 a 13 de setembro), quando foi cotado a R$ 1,6941/litro.

Bolsonaro destaca RenovaBio na live semanal do Facebook

O anidro, usado na mistura com a gasolina, também fechou em alta no mesmo período. Desse modo, o litro foi comercializado a R$ 1,8725, alta de 1,52% em relação à semana anterior, quando o mesmo litro foi vendido a R$ 1,8445, também pelo índice Cepea/Esalq, da USP, em São Paulo.

Etanol diário

Pelo índice Esalq/BM&F o etanol hidratado fechou em baixa na sexta-feira (20). Assim, o metro cúbico do biocombustível foi vendido a R$ 1.801,00, desvalorização de 0,03% no comparativo com o dia anterior.

Leia também:

Renovabio: Bolsonaro destaca programa em sua live semanal do Facebook

O presidente da República, Jair Bolsonaro, destacou o RenovaBio em sua live no Facebook. Na transmissão, Bolsonaro recebeu o diretor de Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), Miguel Ivan de Oliveira.

Açúcar: aumenta fila de navios para embarque

Eles falaram sobre o programa RenovaBio [Política Nacional de Biocombustíveis], criado em 2017, regulamentado no ano passado, e que deve entrar em vigor plenamente no começo do ano que vem.

O RenovaBio é um conjunto de medidas para incentivar o uso de biocombustíveis e reduzir as emissões de carbono na atmosfera. De acordo com Miguel Ivan, o programa vai retirar da atmosfera 700 milhões de toneladas de carbono, o que equivale ao plantio de cinco bilhões de árvores.

Desse modo, atenta aos benefícios do RenovaBio, a Toyota anunciou que pretende recuperar parte do parque industrial montado na cidade de Sorocaba, em São Paulo. E deve reabrir 300 dos 740 postos de trabalho fechados no mês passado. Assim, a montadora de carros japonesa quer produzir, a partir de 2021, veículos híbridos. São carros elétricos e também movidos a etanol.