Compartilhar

Os primeiros testes com tecnologia 5G nas unidades do grupo São Martinho devem acontecer na safra 2021/2022. De acordo com a Hexagon Agriculture, fornecedora de tecnologias, a novidade promete melhorar ainda mais a produtividade e a eficiência da usina.

Hoje, a São Martinho tem capacidade de moagem de 24 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e um faturamento de R$ 3,7 bilhões. Para chegar a esse nível, a empresa apostou na transformação digital por meio de parcerias.

Uma das parceiras é a multinacional Hexagon, que ofereceu soluções digitais completas desde o planejamento para o cultivo até a colheita e o transporte de matéria-prima para a empresa.

De acordo com a empresa, a São Martinho adquiriu um conjunto de softwares, sensores e atuadores para monitorar e automatizar suas operações agrícolas, além de 1851 Computadores de Bordo desde 2018.

Um dos principais pontos da parceria foi a implementação do AgrOn Sala de Controle, que monitora, processa e resume informações das frotas e operações para o Comando de Operações Agrícolas (COA) das usinas.

Diariamente, a frota de máquinas agrícolas da São Martinho roda quase 90 mil quilômetros, o que equivale a cerca de duas voltas na terra. Para garantir o controle e a otimização dessa logística, o grupo desenvolveu uma espécie de “Waze” próprio.

Se o operador desvia do caminho ou infringe outro parâmetro estabelecido, os displays recebem alertas. O posicionamento do veículo, as distâncias percorridas e aquelas que ainda faltam percorrer: tudo é controlado diretamente pela Central de Operações Logísticas das usinas. A fazenda do futuro é, cada vez mais, a fazenda do presente.

Cadastre-se em nossa newsletter