Mercado interno de açúcar tem sua 16ª alta seguida

O mercado doméstico o açúcar cristal continua em alta pelo 16º dia seguido. Desse modo, a commodity foi negociada ontem (9) em R$ 86,60 a saca de 50 quilos, alta de 0,96% no comparativo com a véspera, pelo indicador Cepea/Esalq, da USP.

Por outro lado, o mercado futuro do açúcar fechou com ligeira baixa nesta quarta-feira (9) comparado com o dia anterior na Ice de Nova York. No vencimento outubro/20 a commodity foi negociada em 12,03 centavos de dólar por libra/peso, recuou de 1 ponto no comparativo com a véspera.

Já a tela para março/21 foi firmada em 12,67 cts/lb, também 1 ponto a menos. Os demais contratos retraíram entre 2 e 4 pontos, com exceção do vencimento maio/22 que fechou estável e julho/22 que subiu 6 pontos.

Em Londres o recuo foi um pouco mais acentuado, com o vencimento outubro/20 do açúcar branco comercializado a US$ 358,00 a tonelada, desvalorização de 2,40 dólares no comparativo com a véspera.

Já os contratos para dezembro/20 se firmaram em US$ 355,00 a tonelada, recuo de 2,10 dólares. As demais telas caíram entre 50 cents e 1,80 dólar, com exceção da tela para março/22 que subiu 80 cents de dólar.

Segundo matéria divulgada pela Reuters, “traders disseram que os suprimentos continuam amplos, com a produção no Brasil permanecendo forte enquanto aguardam a confirmação dos relatórios de que a Índia vai subsidiar as exportações de açúcar pela terceira temporada consecutiva em 2020/21. A Índia pode fazer um anúncio antes do final deste mês e conversas indicam que o volume ficará em torno de 6 milhões de toneladas”.

Em nota divulgada ontem, a Commerzbank destacou que “a alta oferta de açúcar indiano no mercado mundial provavelmente gerará pressão de preços (para baixo) repetidamente”.

Cadastre-se em nossa newsletter