Compartilhar

Os preços elevados do açúcar e do etanol durante o 1° trimestre da safra 2021/22 vem ajudando a Raízen a driblar os impactos da produtividade dos seus canaviais pela seca.

Em balanço divulgado, a Raízen apresentou crescimento na rentabilidade de suas principais linhas de atuação. O volume de etanol vendido reduziu 20% na safra para 761 mil m³, explicado pela menor atividade de revenda & trading no período, atenuado pelo maior volume de vendas de etanol próprio.

Segundo os analistas Camilla Dolle e Francisco Lobo, autores do relatório obtido pelo Agro Times e divulgado no MoneyTimes, em contrapartida, o preço médio de etanol avançou 54%, atingindo R$ 3.214/m³.
A Raízen – no  primeiro trimestre fiscal da safra 2021/22 – teve lucro líquido de R$ 809,5 milhões, revertendo prejuízo de R$ 412,4 milhões no mesmo período do ano anterior.

O volume vendido de açúcar mais que dobrou. Passou de 738 mil toneladas para 1.641 mil toneladas. O preço médio de açúcar atingiu R$ 1.822 por tonelada no trimestre, crescimento anual de 24%.

A geração de caixa medida pelo Ebitda ajustado da Raízen somou R$ 1,766 bilhão até junho de 2021, ante a R$ 143,6 milhões registrados no mesmo período de 2020.

Cadastre-se em nossa newsletter