Preços do etanol caem após CINCO semanas de alta

etanol hidratado fechou desvalorizado na última semana, de 2 a 6 de março, conforme apurou o Cepea (Centros de Estudos Avançados em Economia Aplicada) da Esalq/USP. A queda interrompeu uma sequência de cinco semanas seguidas de alta do biocombustível, que vinha subindo seguidamente desde a semana de 27 a 31 de janeiro.
O litro do biocombustível foi comercializado, segundo o Cepea/Esalq, na última semana em R$ 2,1078, contra R$ 2,1354 o litro da semana de 24 a 28 de fevereiro, baixa de 1,29% no comparativo entre os dois períodos.
Já o etanol anidro, usado na mistura com a gasolina, ou nos automóveis originalmente à álcool, desvalorizou 0,18% na última semana, ainda segundo o Cepea/Esalq. O litro do anidro foi vendido na última semana a R$ 2,2718 contra R$ 2,2758 da semana anterior.
Alerta vermelho
A queda nos preços dos etanóis não reflete, ainda, a baixa abrupta do preço do barril do petróleo que sofreu, segundo analistas ouvidos pela Agência Reuters, a maior baixa em mais de 11 anos na última sexta-feira (6).
Os motivos para a desvalorização, ainda segundo a Reuters, foi o fato da Rússia ter se oposto a amplos cortes de produção sugeridos pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para estabilizar os preços da commodity em meio à epidemia de coronavírus.
“Os contratos futuros do petróleo Brent tiveram a maior queda percentual diária desde dezembro de 2008,.fechando em baixa de 4,72 dólares, ou 9,4%, a 45,27 dólares por barril. Esse é o menor nível de fechamento do Brent, valor de referência internacional, desde junho de 2017″, destaca a Reuters.
Com o petróleo derretendo na ICE Europe aumentam as preocupações dos produtores de cana,.uma vez que o cenário que era previsto até agora.prospectava um etanol mais competitivo, assim como o açúcar.
Em um post em suas redes sociais, o professor Marcos Fava Neves, da USP, destacou sua preocupação com o que chamou de.“guerra de preços” no mercado de petróleo mundial. “Aguardamos um dia bem agitado no mercado”,.destacou Neves, referindo-se a esta segunda-feira, destacando, ainda, a queda de 30% nos.preços do petróleo com a saída da Rússia do acordo com a OPEP. “Péssima notícia para a cana“, concluiu.
Mas. Desse modo.  Mas. Desse modo.