Raízen inaugura planta de biogás e amplia seu portfólio de energia renovável

A Raízen inaugurou nesta sexta-feira (16/10) sua primeira planta de biogás. O empreendimento, localizado no município de Guariba (SP), é uma das maiores plantas de biogás do mundo, com 21 MW de capacidade instalada.

O projeto teve sua construção iniciada em 2018 e reforça o compromisso da companhia com a transição energética, investindo em um portfólio cada vez mais renovável e sustentável.

A cerimônia contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, e do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, entre outras autoridades. O empreendimento é fruto de uma joint venture entre a Raízen e a Geo Energética, e tem foco na produção de biogás a partir de subprodutos do processo produtivo do etanol e açúcar, aproveitando sua localização estratégica junto à unidade Bonfim, que processa aproximadamente 5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano.

A planta de biogás operará durante todo o ano, produzindo energia durante a safra a partir do processamento da vinhaça, e, na entressafra, a partir do processamento da torta de filtro. A produção anual da planta será de 138 mil MWh/ano, o suficiente para abastecer, por exemplo, a cidade de Araraquara, no interior paulista.

Referência na produção de biocombustíveis e bioenergia a partir da cana-de-açúcar, com a operação da planta de biogás a Raízen consolida sua estratégia no mercado de crescimento em energia renovável e sua posição de liderança na transição energética. O projeto valoriza os subprodutos agroindustriais, fortalecendo a prática de economia circular já adotada nos processos produtivos da empresa.

“Este é um momento marcante para a Raízen, que já é referência no etanol, na cogeração de bioenergia e no etanol de segunda geração. Estamos entregando tecnologia aliada à sustentabilidade por meio de uma das maiores plantas de biogás do mundo a partir de subprodutos do processo industrial do açúcar e etanol. Esta é mais uma contribuição relevante para a eficiência energética em toda a cadeia e para uma matriz cada vez mais sustentável”, afirma Ricardo Mussa, presidente da Raízen.

Dos 138 mil MWh por ano de energia gerada, 96 mil MWh serão vendidos dentro de um contrato negociado em leilão de 2016 no qual a Raízen foi a vencedora. O valor excedente de energia poderá ser negociado no mercado livre ou outros contratos.

O CEO da Geo Energética e presidente do Conselho da Abiogás, Alessandro Gardeman, destaca que a energia gerada por biogás pode ser produzida durante o ano inteiro, o que oferece estabilidade energética para o sistema elétrico nacional e impacta o desenvolvimento econômico do País de maneira sustentável.

“Com esse empreendimento, intensificamos esforços e colaboração para produzir biogás a partir do reaproveitamento de resíduos com objetivo de entregar uma energia limpa, renovável e com um potencial de desenvolvimento contínuo”.